sexta-feira, 22 de maio de 2015

Governador autorizou construção de quadra de esportes em Escola

O chefe do Executivo pernambucano também autorizou a construção de uma cobertura para a quadra da Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) Doutor Francisco Siqueira Carneiro da Cunha. A intervenção vai beneficiar 701 alunos, ao custo de R$ 430 mil.

“As quadras contribuem para que a nossa juventude tenha, no esporte e no lazer, uma oportunidade. Temos que afastar os nossos jovens das drogas. Por isso que equipamentos como esse têm que ser fortalecidos", pontuou Paulo Câmara, reforçando seu compromisso de valorizar os docentes, melhorar a infraestrtura das escolas e a qualidade de ensino.

A assinatura, por parte do governador, da ordem de serviço que autoriza o início da construção do equipamento foi realizada durante inauguração da Quadra Poliesportiva Antônio Guerra Barreto, erguida pela prefeitura na Escola Municipal Ailton Barbosa.

Aluno do 2º ano, Lucas Thiago, 16 anos, comemora a chegada da nova estrutura. "A gente até tinha antes uma quadra, mas era no sol. Tínhamos que esperar o sol esfriar. Com essa nova coberta, isso vai melhorar muito", comentou. Quem também aprovou a iniciativa foi Niedja Karla, 17. “Sem a quadra, a aula de Educação Física era só na sala, escrevendo. E esse tipo de aula tem que ter prática”, disse a estudante.


Paulo entrega ruas pavimentadas com recursos do FEM em Lagoa do Carro

 
O Governador do Estado entregou, nesta sexta-feira (22), 20 ruas pavimentadas com recursos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM) em Lagoa do Carro, na Mata Norte. O governador Paulo Câmara foi ao município participar da ação, que beneficiou os bairros de Casa Nova, Nobre, Irmão Viana, Severino Frutuoso e Antônio Martins.

O fundo destinou à cidade, na edição 2014, o valor de R$ 747.612,33. Já em 2013, o programa disponibilizou R$ 666.024,19 mil para a pavimentação de vias em cinco bairros. No total, o repasse dos últimos dois anos ao município contabiliza um investimento de R$ 1,4 milhão. 

Paulo explicou que, apesar da crise, muitas ações serão realizadas ainda em 2015. "Estamos enfrentando a crise, planejando, nos arrumando. Parcerias com os municípios não vão faltar. Lançamos o FEM 2015, vamos finalizar os que estão em andamento e dar prosseguimento às parcerias que têm melhorado a vida do povo no nosso Estado", garantiu Câmara.

"É uma satisfação participar de entregas do FEM, um fundo criado por Paulo Câmara, quando secretário da Fazenda, para que Pernambuco atravesse em 2013 aquele momento desafiador de uma crise econômica e de uma seca, que mais uma vez afetam os pernambucanos", emendou o secretário de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral.

Moradora de uma das ruas beneficiadas com os recursos do fundo, Maria Rita de Melo, 70 anos, aprovou a obra. "Isso aqui agora está um céu, mas antes era lama direto. Não dava para sair de casa; se saísse, era dentro da lama. E hoje não! Mesmo chovendo a gente sai enxuto", comemorou.

Bruno Martiniano protocola pedido de desfiliação

Por Carol Brito
Da Folha de Pernambuco
O secretário-geral do PTB, José Humberto Cavalcanti, afirmou que o prefeito de Gravatá, Bruno Martiniano (PTB), protocolou nesta quinta-feira (21) o pedido de desfiliação do partido. O gestor municipal se antecipou à ofensiva da sigla petebista que já estava com o relatório pronto para pedir a expulsão do correligionário.
O chefe do Executivo municipal seria o primeiro filiado expulso das hostes da sigla após as eleições estaduais de 2014. Outros dois prefeitos também fizeram o pedido de desfiliação, entre eles o gestor de Jucati, no Agreste, Gerson Henrique Melo (PTB).
Além desses casos, os gestores de Arcoverde, João Alfredo, Santa Terezinha, Exu e Lagoa dos Gatos também devem ser expulsos do partido. Após a faxina, o PTB passará de 22 prefeitos para 18 gestores.

Nas eleições de 2014, os prefeitos citados abandonaram a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB) para apoiar o atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), que era seu concorrente.

STF barra PEC da Bengala a outras instâncias



O Supremo Tribunal Federal decidiu por freio aos tribunais estaduais que nos últimos dias autorizaram a extensão dos benefícios da chamada PEC da Bengala a juízes de instâncias inferiores.

Aprovada no dia 5, a emenda constitucional elevou de 70 para 75 anos a idade da aposentadoria obrigatória no Supremo Tribunal Federal e em outros tribunais superiores, mas não estendeu a mudança aos desembargadores dos tribunais estaduais nem aos juízes da primeira instância.

Mesmo assim, desembargadores de São Paulo e Pernambuco decidiram aplicar as novas regras a seus colegas, em decisões de caráter provisório. Nesta quinta-feira (20), o Supremo decidiu que só uma lei complementar proposta por iniciativa do próprio STF e aprovada pelo Congresso poderia garantir esse direito a outros magistrados.(Da Folha de S.Paulo - Pedro Thomé)

Lula participa de encontro com trabalhadores da CONTRAF



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ironizou os pastores evangélicos, em evento com sindicalistas do setor bancário, na noite de quarta-feira. Ao falar sobre o ajuste fiscal para uma plateia de cerca de 200 pessoas no Centro de São Paulo, o petista, em tom de brincadeira, disse que as famílias de trabalhadores costumam gastar além do orçamento no final do ano e, em janeiro, se depararam com impostos.

- (Nessa horas) temos que jogar sempre a culpa em alguém e esse alguém é o governo - disse o ex-presidente, no encontro promovido pela Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf).
Foi, então, que Lula citou os evangélicos:
- Os pastores evangélicos jogam a culpa em cima do diabo. Eu acho fantástico isso. Está desempregado é o diabo. Está doente é o diabo. Roubaram seu carro é o diabo.
Na sequência, o ex-presidente fez referência a teoria do domínio do fato, que embasou a condenação do seu ex-ministro José Dirceu no julgamento do mensalão.
- Acho que é legal porque é direto. Não tem investigação (para saber de quem é culpa). É a teoria do domínio do fato.
Lula ainda ironizou a cobrança de dízimo pelos pastores.

- E a solução é Deus. Paga o seu dízimo que Jesus salvará.   (De O Globo)

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Morre Zé do Rádio torcedor símbolo do Sport

Foto: Rodrigo Lôbo/Acervo JC Imagem
Foto: Rodrigo Lôbo/Acervo JC Imagem
O futebol pernambucano está mais triste. A morte de Zé do Rádio, um dos torcedores símbolos do Sport, com certeza deixa uma lacuna grande nas nossas arquibancadas. Não apenas pela representatividade dele, mas também por Zé ser um dos últimos personagens de um futebol mais engraçado e provocativo, como deveria ser de fato. Vai fazer falta nesse futebol “moderno” onde o politicamente correto deixa tudo um pouco mais sem graça.
O engraçado é que o futebol atual está ganhando justamente o apelido que Zé do Rádio se orgulhava de ter: o de chato. Mas o chato do rubro-negro não tem nada a ver com esse do nosso futebol, onde qualquer tipo de brincadeira é levada como agressiva. Zé provocava os rivais, é verdade, mas sabia bem o limite das brincadeiras. Era ciente que o Sport só era grande por conta da rivalidade com Santa Cruz e Náutico.

Apesar de trabalhar na crônica esportiva, nunca conheci Zé do Rádio pessoalmente. Uma brecha que com certeza vai fazer falta mais na frente. Com o time ganhando ou perdendo, ele era um ótimo personagem para qualquer tipo de texto, áudio ou vídeo. Sabia falar bem o que o torcedor sentia no momento. Tanto que era amado por todos, incluindo os rivais.

Mas Zé se foi e deixou muitos tristes. Só espero que ele saiba que cumpriu a sua missão como torcedor. Amou o clube do início ao fim, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza. Foi um casamento duradouro e bonito entre ele e o Sport. Vamos sentir sua ausência, lógico. Porém, desejo que a experiência dele sirva de exemplo para os torcedores da próxima geração. É possível provocar e brincar com o rival em clima de paz. Que seu Rádio (com caixa alta porque ele era enorme) nunca fique mudo, Zé. Que a partir de agora propague não só os gols do seu Sport, mas também o simbolismo que você representou.
ENTERRO* – O corpo de “Zé do Rádio” vai ser velado apenas para os parentes durante toda a tarde e noite, desta quinta (21), no Hospital Português, no bairro do Paissandu. De acordo com familiares, o público vai poder se despedir de Zé do Rádio a partir das 8h no velório do Cemitério Parque das Flores, no bairro do Sancho. Ainda não há informações sobre o horário do enterro.(DO NE 10)

Preso suspeito de extorquir padre por fotos íntimas


Do NE 10
O comerciante autônomo José Douglas de Oliveira Souza, de 26 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira (21), na casa de um amigo, no bairro de Xucuru, em Pesqueira, Agreste de Pernambuco, acusado de extorquir o padre Severino Ézio de Melo.


José Douglas teria pedido R$ 30 mil ao padre para não divulgar fotos íntimas
José Douglas teria pedido R$ 30 mil ao padre para não divulgar fotos íntimas Foto: Polícia Civil/Divulgação
De acordo com o delegado Cláudio Castro, do Grupo de Operações Especiais (GOE), José Douglas teria pedido R$ 30 mil ao sacerdote para não divulgar fotos íntimas dele.

Ele foi autuado por extorsão e será encaminhado para o Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, Grande Recife, onde ficará à disposição da Justiça.
Na sede do GOE, no Cordeiro, Zona Oeste do Recife, o suspeito confirmou o crime, mas nega ter publicado as fotos. Disse que inicialmente, as ameaças tratavam-se de uma brincadeira, e afirma ter sido motivado por ciúmes. 
Segundo a polícia, o padre teria tido um relacionamento amoroso durante anos com Douglas e estaria se relacionando com um terceiro homem, que não inicialmente teria envolvimento com o crime.
O religioso registrou boletim de ocorrência no último 4 de maio, denunciando o caso.

AFASTAMENTO - Documento assinado pelo bispo de Pesqueira Dom José Luiz Ferreira Sales na última segunda-feira (18) determinou o afastamento do padre Severino da Diocese, pela "divulgação de fotografias comprometedoras da moral" nas redes sociais. Segundo o decreto, o religioso está "vedado do exercício do ministério presbiterial e quaisquer cargos eclesiásticos".

Justiça cassa deputado tucano por currupção



O deputado federal João Castelo (PSDB-MA) foi condenado pela Justiça do Maranhão a devolver R$ 115,1 milhões --em valores atualizados-- aos cofres públicos e pagar multa de R$ 38,3 milhões por improbidade administrativa. Ele ainda teve a função pública cassada e deverá perder o mandato parlamentar. A decisão foi tomada nessa terça-feira (19) pela juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública de São Luís, Luzia Madeiro Neponucena, que ainda a condenou Castelo a perda dos bens adquiridos ilicitamente ao patrimônio e a proibição de contratar com o poder público e direitos políticos suspensos por oito anos.

O deputado federal disse que vai recorrer da decisão --que ainda não foi publicada oficialmente.
O valor a ser devolvido é referente a ato de improbidade administrativa que ele teria cometido em 2009 e 2010, quando era prefeito de São Luís e autorizou obras de asfaltamento de ruas.

Segundo as investigações do MP (Ministério Público) do Maranhão, Castelo teria feito contratos de recuperação, reconstrução e revitalização de pavimentação de ruas e avenidas da capital maranhense sem licitação.

Sem prova, Moro e PiG miram no PT e pegam Dirceu​



Segundo o PiG, o Juiz da Vara de Guantánamo, os procuradores fanfarrões e os delegados aecistas confessos prenderam um doleiro.

Segundo os próprios protagonistas da 498ª etapa da Lava Jato,

“A única ligação entre Pascowitch e o Partido dos Trabalhadores que temos hoje é através do José Dirceu. A empresa de Milton fez pagamentos à JD entre 2011 e 2012″, disse o delegado Igor Romário de Paula.

Não é isso o que diz a Globo, na manchete:



Preso da Lava Jato era elo entre o PT e a Petrobras, diz investigação da P


“Era” o elo.

A Globo já determinou: ERA !

É o minueto de sempre, que vai transformar essa Lava Jato num castelo de areia: os delegados e procuradores insinuam, passam manteiga para o PiG e o PiG condena o PT.

No caminho, para chegar ao PT, pegam o Dirceu.

Não há prova contra um nem outro, na delatoria desse novo doleiro.

Nem contra o PT nem contra o Dirceu.

Dirceu não estava mais no Governo e já disse, aqui mesmo no Conversa Afiada, que esses serviços prestado não tinham NADA a ver com a Petrobras.

Mas, a munição do Dr Moro começa a escassear.

Ele não quebrou a Petrobras.

O acordos de leniência serão firmados, pois, nem no Nazismo as empresas fecharam.

E as reverberações políticas já estão descontadas – com a progressiva desmoralização das bravatas udenistóides do Fernando Henrique.

A própria Lava Jato vive uma crise profunda de credibilidade.

O delator Youssef é bi-relator e o Ministro Teori não sabia disso.

Moro concedeu ao Youssef o direito de mentir uma segunda vez !




E o Janene, quem sabe, o centro da roubalheira, talvez esteja vivinho da Silva em Miami Beach !

(Não deixe de votar na enquete trepidante.)

Mas, o Dr  Moro é candidato.

A que ?

A tudo !

Se a pressão eleitoral recomendar, ele talvez escreva novos prefácios de livros furados – quem sabe uma reedição de “Mein Kampf”? – e dê ordem de prisão ao Dirceu e, depois, ao Lula !

Provas ?

Para que provas ?

As provas estão nos autos.

Que autos ?

As “reportagens” do PiG !

Sem o PiG, o Moro não saía de Maringá !



Paulo Henrique Amorim

Folha ataca quem investiga Zelotes

 Texto de Paulo Pimenta na íntegra:

Para minha surpresa, nesta quinta-feira (21), o colunista da Folha de S.Paulo Leonardo Souza iniciou uma "cruzada" contra todos aqueles que lutam para que não haja uma operação abafa sobre a Operação Zelotes. Acuada que está, a mídia faz diversas tentativas para desqualificar tanto a Zelotes quanto o episódio das contas secretas do HSBC na Suíça, conhecido como escândalo Swissleaks, pois ela não sabe QUEM as investigações poderão "pegar".
O que se sabe é que nesses dois escândalos bilionários de sonegação há empresas de mídia e nomes ligados a grupos de comunicação envolvidos. Como a imprensa não controla esses episódios, ela busca estratégias para retirar a autoridade do trabalho investigativo da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, ou daqueles que buscam dar visibilidade à Operação Zelotes.
A imprensa, basicamente, não se ocupa da Operação Zelotes por três motivos: o escândalo bilionário não envolve a classe política (os envolvidos são empresas privadas, anunciantes da própria mídia); há grupos de mídia investigados; e porque parte da imprensa sustenta que sonegar é um ato aceitável, e que não se trata, portanto, de corrupção.
Chama atenção que o colunista Leonardo Souza jamais se deteve em profundidade ao assunto para informar à sociedade o que é o Carf, o que é a Operação Zelotes, como é que agiam as quadrilhas que se apropriaram de uma estrutura como o Carf para defesa dos seus próprios interesses. Pelo que se sabe, o colunista não moveu até agora uma palha para tentar esmiuçar o assunto. Quando não cala sobre a Zelotes, o colunista Leonardo Souza prefere fazer juízo de valor sobre a minha atuação, tentando colocar sob suspeita as reais intenções do nosso trabalho.
Lamento que, mesmo tendo gasto grande quantidade de papel e tinta acompanhando a Operação Zelotes e a nossa atividade parlamentar, o colunista da Folha de S.Paulo o faça sem reconhecer a realidade dos fatos, sob a frágil alegação de que os esforços engendrados por nosso mandato tenham a única finalidade de desviar a publicidade da operação Lava Jato. Qual o motivo de tratar a Lava Jato e a Zelotes como concorrentes, e não como casos de corrupção de forma semelhante, respeitando o direito que a sociedade tem de ser informada? Se o raciocínio do tal colunista procedesse, seria possível afirmar que a mídia só cobre a Lava Jato com objetivo de ofuscar a Zelotes.
Sim, Leonardo, que as autoridades investiguem a fundo a Lava Jato, a Zelotes, o HSBC, o Mensalão Tucano, o Trensalão Tucano de São Paulo e todos os casos de corrupção do país, bem diferente do que ocorria até o final dos anos 1990, quando muitos casos de corrupção eram engavetados. E que a imprensa, por sua vez, noticie todos os casos de corrupção do país.
E quando for cobrada de que não está cumprindo com o papel de informar e servir ao cidadão, de que está agindo como a quadrilha que atuava no Carf defendendo apenas seus próprios interesses, que a imprensa não busque o caminho dos ataques, da desqualificação e das suposições baseadas em ufanismos editoriais ideológicos. Que não seja autoritária como os censores da ditadura! Que não tente calar e sufocar a voz daqueles que buscam chamar atenção para a roubalheira que foi feita no Carf. Que não censure! Que não faça o que justamente critica. Combata a censura, a si próprio, e não quem defende a liberdade para se falar da Zelotes e de todos escândalos de corrupção.
Por respeitar e confiar na independência do poder judiciário é que buscamos tratamento isonômico a todas as investigações criminais envolvendo o desvio de verbas públicas. Acreditamos que entre os excessos a Operação Lava Jato e a negligência dedicada à Operação Zelotes deve existir um caminho do meio.
As estratégias da mídia são velhas conhecidas. O que há de novo é que, agora, não há mais como impedir que o público tenha acesso às informações de que os grandes grupos de comunicação estão envolvidos tanto no Swissleaks quanto na Zelotes, que apuram sonegação fiscal, corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro.
Infelizmente, a imprensa brasileira trabalha os casos de corrupção não a partir do ato em si, mas, sim, a partir de quem praticou a corrupção e quem está envolvido nesses escândalos. Só depois desse filtro, dessa censura prévia, e só depois de verificar se não irá atingir interesses dos grupos econômicos influentes, é que a imprensa decide qual o tamanho da cobertura jornalística que dedicará, ou, então, se irá varrer os acontecimentos para debaixo do tapete, sumindo com esses fatos do noticiário.
A mídia conhece, mais do que ninguém, os limites da sua liberdade de expressão, até onde pode ir e sobre o quê e quem falar. Nesse sentido, e parafraseando o próprio colunista Leonardo Souza, "é uma pena que o ímpeto apurativo da imprensa brasileira não se dê pela vontade genuína de ver um Brasil limpo da corrupção".

Paulo Pimenta, jornalista e deputado federal pelo PT-RS.

Rede vai reabrir processo de criação

A Rede Sustentabilidade, projeto de partido que Marina Silva que não conseguiu se oficializar em 2013, a tempo de participar das eleições do ano passado, pode finalmente sair do papel. O grupo diz ter conseguido 53 mil assinaturas certificadas nos cartórios eleitorais, que vão se somar às 442 mil que a Rede já tinha. Com isso, o grupo chegará a 495 mil apoiamentos, número superior aos 490 mil exigidos pela legislação eleitoral.
O dirigente Pedro Ivo, hoje coordenador nacional de organização da Rede, disse que eles vão reabrir o processo de criação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima semana. Mesmo com a legislação que foi sancionada este ano e que restringiu a criação de novas legendas, Pedro Ivo disse que o grupo está “otimista e realista” quanto à homologação da Rede. “Temos um acórdão do Tribunal (TSE) dizendo que nosso processo estava correto e que faltavam somente aquelas fichas e que, chegando essas fichas, eles iriam homologar”, afirmou.

Professores de PE prometem nova greve



Do G1 PE
Os professores estaduais de Pernambuco decidiram, em assembleia realizada hoje, no Recife, decretar a volta da greve da categoria a partir do dia 29 de maio. Os docentes rejeitaram a proposta do governo estadual de 7,01% de aumento para professores e de 6,12% para analistas e o quadro administrativo, até o final do ano. Desde o início da paralisação, que já teve a categoria de braços cruzados por 24 dias no mês passado, o movimento pede um incremento de 13,01% nos salários para todos os quase 50 mil profissionais.
Procuradas pelo G1, as secretarias de Administração e de Educação do estado informaram que só vão se pronunciar quando receberem os documentos oficiais sobre a paralisação.
No dia 29, a categoria se reúne novamente para decidir os rumos do movimento grevista, em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco. De acordo com Fernando Melo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Educação em Pernambuco (Sintepe), desde a suspensão do movimento, no último dia 4 de maio, foram realizadas duas reuniões com representantes do governo para tratar da questão salarial. "A proposta fica distante do que pedimos, do que é direito. Vamos engrossar a nossa luta", disse. Cerca de 2 mil professores participaram da assembleia nesta quinta, realizada no Clube Português.
A proposta salarial do governo de Pernambuco leva em consideração a elevação de faixas profissionais dentro do plano de cargos e carreira, segundo o Sintepe. Foram propostas três elevações, o que corresponde a 2% cada, além de retroagir para janeiro o aumento de 0,84% concedido em abril.
A última rodada de negociação entre categoria e governo aconteceu na noite de ontem. De acordo com o Sintepe, além do reajuste, o governo propôs abrir concurso de 3 mil vagas ainda em 2015; gratificação para professores que trabalham em presídios aplicada a partir de outubro; além de aumentar em 60% o valor do vale-refeição apenas para professores que cumprem carga de 200 horas-aula e para servidores administrativos com jornada de 8h diárias.
Os professores vaiaram o valor oferecido e foram vestidos com uma camisa que dizia "100%; prometeu, cumpra", em referência à promessa de campanha do governador Paulo Câmara, para os quatro anos de governo. O Sintepe diz que, para que esse percentual seja cumprido, tem que ser dado um reajuste de pelo menos 19% ao ano.



Alguns alunos da rede estadual de ensino compareceram ao Clube Português, em apoio aos professores. Os estudantes Jemerson Tiago, Adryel Freitas e Alex Vinicius saíram do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, para defender os professores. "Acreditamos que a luta não é só deles, mas de toda a educação", destacou Adryel. A primeira paralisação dos professores aconteceu de 10 de abril a 4 de maio.

Impeachment: tucanos perdem mais uma



Sem respaldo legal e apoio político para um pedido de impeachment, os partidos de oposição seguiram o PSDB e anunciaram nesta quinta-feira (21) a decisão de pedir a abertura de uma ação penal contra a presidente Dilma Rousseff. Os tucanos desistiram de bancar pedido de impeachment ao receber parecer sobre sua viabilidade jurídica, encomendado pelo partido ao jurista Miguel Reale Júnior.

Reunidos no gabinete do presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), os líderes oposicionistas decidiram levar, na terça-feira (26), o pedido de abertura de investigação à Procuradoria-Geral da República. O argumento é que Dilma cometeu, em seu primeiro mandato, crime comum com a prática das chamadas "pedaladas": manobras fiscais com o uso dos bancos oficiais.

Para não reconhecer o recuo, os oposicionistas alegam que, se aprovada, a investigação poderá levar ao impeachment. Mas admitem que o processo é bem mais longo. O pedido tem que ser aceito pela PGR – o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, porém, já se manifestou sobre a impossibilidade da petista ser processada por crime cometido antes do atual mandato – e submetido ao Supremo Tribunal Federal.  (Folha de S.Paulo)

Comissão aprova criação de municípios


Ontem, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou projeto de lei (PLS 353/2014 – Complementar) do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) que regula a criação, incorporação, fusão e o desmembramento de municípios. Esta é a terceira tentativa de regulamentação do assunto pelo Senado depois que duas propostas foram vetadas integralmente pela presidente da República, Dilma Rousseff, em 2013 e 2014. A proposta teve parecer favorável do relator, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), e segue para votação no Plenário do Senado.
O PLS 353/2014 — Complementar resgata quase todo o conteúdo do PLS 104/2014, de autoria do ex-senador Mozarildo Cavalcanti e vetado por Dilma em agosto do ano passado. O projeto de Flexa reúne critérios de viabilidade; exigências de população mínima; e regras para a apresentação de proposta de fusão ou desmembramento de municípios às assembleias estaduais e de realização de plebiscito para consulta à população interessada.
O ponto de partida para a criação de novos municípios, de acordo com esse projeto, será a apresentação de requerimento à assembleia legislativa estadual, apoiado por 20% do eleitorado da área alvo de emancipação ou desmembramento ou 3% dos eleitores de cada um dos municípios com pretensões de fusão ou incorporação.
A criação de novos municípios também depende do alcance de um contingente populacional mínimo. Assim, depois de fundido ou dividido, sua população deverá ser igual ou superior a 6 mil habitantes nas Regiões Norte e Centro-Oeste; 12 mil na Região Nordeste; e 20 mil nas Regiões Sul e Sudeste. Sua área urbana também não poderá estar em reservas indígenas, área de preservação ambiental ou terreno pertencente à União

O ajuste e a tempestade

Tobias Carvalho
TOBIAS CARVALHOO - principal debate econômico no Brasil atualmente é sobre o ajuste fiscal. Desde o começo do segundo mandato de Dilma Rousseff, as relações entre o Planalto e o Congresso têm sido marcadas por uma obsessão por parte do governo de aprovar esse ajuste. O tema, no entanto, parece ser tratado com descaso e contradições por toda parte.
Durante o primeiro mandato de Dilma, quando Guido Mantega dava à condução da economia um caráter claramente keynesiano e desenvolvimentista, o governo apostou em desonerações e diminuições de impostos para que o empresariado alavancasse os investimentos e o país voltasse a crescer, reativando sua indústria. O resultado foi pífio, principalmente pelo fato de que os empresários não reverteram as desonerações em investimentos. Mas o mito da "gastança" do governo no passado não passa de um mito. Ao invés de gastar muito, o governo apenas arrecadou menos durante esse período.
Durante as eleições, o debate econômico foi centrado na condução fiscal: enquanto Dilma defendia a continuidade da heterodoxia, Aécio Neves dizia que o Brasil teria que passar por um ajuste. Apesar de vencer as eleições, o PT viu-se derrotado no projeto econômico, o que ficou claro quando Joaquim Levy, economista neoliberal e ortodoxo, foi nomeado.
Estranhamente, no entanto, os parlamentares do PSDB, partido que antes era apoiador do ajuste fiscal, agora votaram contra ele. Claramente, o posicionamento é uma mostra de que o partido faz oposição por oposição, sem nenhum comprometimento ideológico com quaisquer eleitores. Muitos apoiadores de Aécio Neves culpam Dilma e Levy pelo seu "pacote de maldades", mesmo tendo votado nesse mesmo projeto. Enquanto isso, alguns militantes do PT agora defendem com unhas e dentes o projeto que antes rechaçaram.
A questão é: o Brasil precisa agora de um ajuste fiscal? Muitos dizem que não, e que a necessidade de superávit é uma maneira antiquada de pensar a economia que compara o Estado com uma empresa, que não pode gastar mais do que ganha. Analisando os dados, sabe-se que a maioria dos países desenvolvidos obteve déficit nas contas públicas no último ano.
Mas é claro: a situação do Brasil se tornou grave nos últimos anos. O que Dilma Rousseff precisava fazer agora era sim uma mudança na condução fiscal, mas não nesses termos. Em vez de cortar gastos e fazer com que os trabalhadores paguem a conta, deveria progressivizar os impostos e gastar mais. Puxar investimentos, aumentar a renda da população, alavancar o PIB. Isso faria com que o Estado pudesse ter mais impostos sobre a renda e obter, assim, um superávit, sem arrocho e sem queda no crescimento. A esquerda ainda não conseguiu ainda uma fórmula de sair de crises sem apelar à velha fórmula dos economistas ortodoxos, e esses erros deixam marcas.
Tenhamos consciência, no entanto, de que o governo vai sim insistir no ajuste fiscal. É sua última aposta. O capital político de Dilma se esvai a cada dia, na medida em que o Congresso mais conservador do período pós-redemocratização tem aprovado leis com o claro intuito de prejudicar a presidenta, sem o menor compromisso com o povo. Querer que Dilma seja fiel ao que propunha é legítimo, mas é importante saber que, no momento, ao pôr o governo contra a parede, estamos todos abrindo espaço para as forças que mais estão crescendo nos últimos meses, as forças que cada vez mais têm chances de emplacar um candidato à presidência em 2018: a dos conservadores. Isso é um desserviço a todos, e é por isso que a cautela é necessária. Torçamos para que o ajuste seja rápido e para que o Brasil possa voltar à sua rota de crescimento, dessa vez com mais desenvolvimento.

E que a tempestade passe.

Seplag oferece ciclos de capacitação e apoio à captação de recursos aos municípios pernambucanos


A Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco promoveu, nesta quarta-feira (20), encontro com gestores municipais das Zonas da Mata e da Região Metropolitana do Recife, com o objetivo de apresentar os produtos oferecidos pela pasta para o apoio aos municípios. Entre eles, estão o Escritório de Projetos e o Fundo Municipal de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM). Cerca de 70 representantes das cidades compareceram ao evento, realizado no Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos de Pernambuco (Cefospe). Na semana passada, os gestores do Agreste e do Sertão participaram de um encontro semelhante.  

O secretário executivo de Apoio aos Municípios, Flávio Figueiredo, apresentou aos prefeitos, secretários e funcionários das prefeituras presentes as principais iniciativas. Além de falar sobre o Edital, do Escritório de Projetos, que destina R$ 10 milhões para que as prefeituras realizem projetos de engenharia, foram detalhados os ciclos de capacitação programados para o mês de junho e o esquema montado pela Secretaria de Apoio aos Municípios (SEAM), vinculada à Seplag, para apoiar os municípios nos processos de captação de recursos.

O Ciclo de Capacitação acontece no mês de junho em três cidades diferentes, Petrolina, no Sertão, Caruaru, no Agreste, e no Recife. Serão ofertados cursos para gestores municipais nas áreas de contratação e fiscalização de obras públicas, captação de recursos e convênios, modelo de gestão e orçamento público. Os cursos serão gratuitos e, para participar, basta aos municípios interessados responderem à convocação que será enviada pela Seplag. Este Ciclo será realizado em parceria com o Instituto de Gestão, responsável pela organização e supervisão das aulas.

A gerente do Escritório de Projetos da SEAM, Daniela Medeiros, detalhou aos gestores presentes, como funciona o apoio à captação de recursos. “Identificamos que os municípios têm dificuldades de acesso aos recursos federais e as oportunidades que aparecem são pouco aproveitadas. Há uma deficiência grande no corpo técnico das prefeituras, o que também gera uma dificuldade na gestão dos convênios. Por isso, montamos uma estrutura para ajudar os municípios em relação à captação de recursos, além de ajudar na elaboração de planejamentos estratégicos, definição de prioridades e cumprimento de metas”, explicou Daniela.   

Com relação ao Edital para projetos de engenharia, foi distribuída, na ocasião, uma cartilha aos gestores presentes, esclarecendo as principais dúvidas sobre como proceder para conseguir obter este financiamento. O edital está disponível no site da Secretaria de Planejamento e Gestão (www.seplag.pe.gov.br). As propostas podem ser apresentadas pelas prefeituras até o dia 31 de maio isoladamente ou através de consórcios municipais. Serão disponibilizados até o limite de R$ 200 mil por proposta. No caso de consórcio de municípios, o valor limite por proposta será diferenciado: R$ 300 mil para consórcios com duas cidades e R$ 400 mil para entidades com três ou mais cidades.

Foto: Douglas Fagner



Paulo Câmara começa nova etapa de parceria com o BID


O governador Paulo Câmara foi recebido, nesta quarta-feira (20), em Brasília, pela representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Daniela Carrera Marquis. Acompanhado dos secretários Isaltino Nascimento (Desenvolvimento Social, Criança e Juventude), Márcio Stefanni (Fazenda) e Danilo Cabral (Planejamento e Gestão), e do Procurador do Estado, César Caúla, Paulo tratou de uma nova etapa dos contratos que o Governo de Pernambuco já tem firmado com o banco para projetos de parceria na área de políticas preventivas contra a violência e em favor da cultura da paz. "Vamos dar um enfoque muito grande no desenvolvimento de políticas sociais. Estamos apresentando isso ao banco dentro de um modelo novo que está sendo desenvolvido pelo secretário Isaltino e também a partir de outros que já têm sido feito pelo Estado como o programa Atitude. Esse projeto vem tratando de pessoas que se envolvem com o vício do crack e outras drogas", afirmou o governador.

Em busca de parceiros para os projetos, Paulo Câmara destacou que trabalha na construção de uma "política para o futuro", para os próximos 20 anos e que tenha um contexto social forte. "O Banco Interamericano é um parceiro que já vem ajudando Pernambuco e se interessou pelo tema. E, a partir de agora, vai nos ajudar, para, mais na frente, sermos parceiros também na locação de recursos que vai envolve não apenas o banco, mas uma série de outras entidades".

Ainda na reunião, Isaltino Nascimento citou a importância dos Centros Comunitários da Paz, o Compaz, uma proposta com conceito inovador na área de segurança pública. "Com o Compaz, atuamos nas áreas de maior vulnerabilidade e violência. O objetivo também é construir um trabalho de vinculação e formação permanente da Polícia Amiga, dialogando com as comunidades para que a gente possa ter a construção da relação comunitária", explicou Isaltino. O secretário também reforçou o pleito de expandir o Programa Atitude e o Governo Presente, ambos de apoio às medidas de segurança do Pacto pela Vida. 

Um Carlos Lacerda em compota


De artigo de Carlos Chagas
[...]
 Por que se recorda um passado que já saiu pelo ralo? Porque as características da velha UDN estão ressurgindo em outra legenda. O PSDB cada vez mais copia as experiências e o modelo de sua ancestral, seja por estar afastado do poder, seja por sua linguagem descontrolada e pela presença, ao lado de cidadãos da maior probidade, de ostensivos golpistas empenhados em reviver um regime a serviço das elites.
Concordará quem assistiu, ontem, o programa de propaganda partidária gratuita dos chamados tucanos, em cadeia nacional de rádio e televisão. Fernando Henrique Cardoso mais parecia um Carlos Lacerda em compota, pregando a deposição de um governo que, apesar de erros e desvios flagrantes, foi eleito democraticamente pela maioria do eleitorado. Ruim com Dilma, Lula e o PT, pior com o sociólogo fixado no objetivo de retornar ao governo, agora através do golpe. Ao dizer que “nunca na história desse país se roubou tanto em nome de uma causa”, deixou clara a disposição de apoiar o impeachment da presidente, mesmo sem coragem para referi-la abertamente.

Foi assim que a UDN lançou-se na tentativa de deposição de Getúlio Vargas e, depois,de João Goulart. Tudo porque carecia de votos e de respaldo das massas voltadas para a justiça social. O fenômeno, agora, é parecido. Havia corrupção nos governos do PTB, por certo que não no nível do PT, mas demolir as estruturas democráticas em nome de combatê-la jamais foi solução.

Temer e Padilha seguram a barra para Dilma


Leandro Mazini - Coluna Esplanada 
O vice-presidente Michel Temer e o ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha, formam a poderosa dupla do momento e têm segurado a barra para a presidente Dilma na cambaleante relação entre o Planalto e o Legislativo.
Temer recebe deputados e senadores no seu gabinete, no anexo do Planalto, e delegado outras visitas a Padilha, que alterna a agenda entre a SAC e o gabinete da extinta Secretaria de Relações Institucionais no Palácio.
O vice foi fundamental na vitória (apertada) do Governo nas MPs 664 e 665 na Câmara, por fidelidade corporativa dos deputados a ele.

Ontem as salas estavam lotadas de parlamentares com os pires nas mãos. Temer tem assinado as faturas para Dilma, que promete entregá-las.

Lula: 'FHC precisa contar a história da sua reeleição

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) rebateu nesta quarta-feira (20) as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no programa do PSDB.
Nesta terça-feira (19), FHC afirmou na TV que nunca antes no Brasil “se errou tanto e roubou tanto em nome de uma causa". “A raiz da crise atual foi plantada bem antes da eleição da atual presidente. Os enganos e desvios começaram já no governo Lula. O que a realidade está mostrando é que nunca antes neste país se errou tanto nem se roubou tanto em nome de uma causa”, disse FHC.
Em discurso em um seminário para sindicalistas bancários, promovido pela Contraf-CUT em São Paulo, o petista se disse “triste” com os ataques da oposição: "Eu vi o programa do nosso adversário na terça-feira. Fico triste, porque um homem que foi presidente da República, letrado como ele é, não tinha o direito de falar a bobagem que ele falou", afirmou.
Segundo Lula, se ele quisesse falar de corrupção, precisaria contar para este país a história da sua reeleição, em referência ao escândalo da compra de votos em 1997: "Não teve no nosso mandato 'engavetador' no Ministério Público e não teve afastamento de delegado da Polícia Federal por investigar. Só há um jeito das pessoas não serem incomodadas neste país, é serem honestas, é fazerem a coisa certa. Não tem tapete para esconder a sujeira. No tempo deles, só tinha tapete", acrescentou.

Quanto à disputa à Presidência, disse que virou o alvo: "Eu estou assustado. Agora, eles já não querem mais atacar a presidente Dilma Rousseff. Eles já estão pensando que tem de balear o Lula, pensando que o Lula vai voltar em 2018. Eu nem sei se vou estar vivo", afirmou.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Collor chama Janot de ‘chantagista’

Alvo da Operação Lava Jato, o senador Fernando Collor (PTB-AL) chamou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de “chantagista” por ele ter pedido a quebra do seu sigilo fiscal e bancário. “Essa conduta, para mim, tem nome. O nome dessa conduta é chantagem. Só que o sr. Janot, o chantagista, comigo não se cria: estiola”, disse.
Em discurso feito nesta quarta-feira (20), na tribuna do Senado, Collor afirmou que Janot decidiu fazer a solicitação ao Supremo Tribunal Federal (STF) depois de ter vindo a público a notícia de que ele havia protocolado quatro representações no Senado que poderiam resultar no impeachment do procurador-geral.
O senador, entretanto, apresentou os requerimentos no dia 12, e os pedidos de quebra de sigilo de Janot chegaram ao Supremo cinco dias antes, no dia 7. A quebra de sigilo foi autorizada na última segunda-feira e será usada pelos investigadores para checar eventuais depósitos mencionados pelos delatores da Lava Jato.
Desde que virou um dos 50 investigados no STF por suposto envolvimento em desvios na Petrobrás, Collor tem acusado o procurador-geral de agir sem critério ao fazer suas acusações.
A Polícia Federal, porém, encontrou no escritório do doleiro Alberto Youssef em São Paulo comprovantes de depósitos bancários de dinheiro destinados a Collor. O próprio Youssef, posteriormente, afirmou em sua delação ter feito vários depósitos para o senador.

(Fonte: Estadão Conteúdo)

CPI desiste de exumar para ver se Janene vive


Da Folha de S.Paulo – Aguirre Talento
Após as polêmicas provocadas pelo anúncio de que iria pedir a exumação do corpo do ex-deputado José Janene (PP), morto em 2010, o presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), recuou e afirmou querer ouvir primeiro a viúva de Janene, Stael Fernanda Janene.
Motta fez a proposta à CPI no início da tarde desta quarta-feira (20) por, segundo ele, ter recebido informações de interlocutores da viúva de Janene de que não haveria certeza sobre sua morte. Ouvida pela Folha, porém, Stael Fernanda classificou a história de "fantasiosa".
O presidente da CPI também foi criticado por outros integrantes da comissão pela proposta. O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) disse que queriam "tirar o foco das investigações de quem está vivo". O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) chegou a comparar a hipótese de Janene estar vivo com um "roteiro de novela".
Sob os protestos, Hugo Motta recuou e afirmou que a comissão iria convocar a viúva antes da exumação —o requerimento de convocação dela, porém, ainda não foi aprovado.



"Ela conseguindo provar esse fato [que ele está morto], não cabe à CPI, se a prova for contundente, estar alimentando essa história. Eu apenas trouxe um fato que entendo ser de relevante importância", disse.

Prefeitura de Angelim promove Concurso Público

Publicado originalmente pelo blog de Carlos Eugenio

A Prefeitura de Angelim lançou Edital com 89 vagas em Concurso Público para provimento de cargos efetivos em seu quadro de pessoal do Município. As Vagas estão distribuídas em 19 cargos de nível fundamental, médio e superior.


O Instituto Adm&Tec será o organizador do Certame, cujos salários variam entre R$ 788 e R$ 4.000. O Edital está disponível nos sites:
www.angelim.pe.transparencia1.com.br e www.admtec.org.br .


As Inscrições, que custam R$ 80 (superior); R$ 60 (médio) e R$ 40 (fundamental), devem ser realizadas através do site:
www.admtec.org.br, no período de 18 de maio a 21 de junho de 2015. As provas serão aplicadas no dia 12 de julho de 2015, sendo no horário das 8 às 11h (nível fundamental e superior) e das 13 às 16h para os cargos de nível médio.


Clique
AQUI e confira os cargos, vagas e salários disponíveis para o Concurso da Prefeitura de Angelim.

Papa nomeia novo Bispo da Diocese de Garanhuns

Do blog de Carlos Eugênio
Os sinos da Catedral de Santo Antônio anunciam que o Papa Francisco nomeou nas primeiras horas de hoje, dia 20, o novo Bispo da Diocese de Garanhuns. Trata-se do Bispo Paulo Jackson Nóbrega de Sousa, que foi recém ordenado Bispo, e que atuava como Padre na Paróquia Bom Jesus do Horto, na Arquidiocese de Belo Horizonte-MG.


A Diocese de Garanhuns estava com sua Sede Vacante (sem um Bispo), desde 6 de agosto de 2014, quando Dom Fernando foi nomeado Arcebispo Militar do Brasil. Desde então, o Clero vinha sendo conduzido pelo Monsenhor Benevenuto, que exerce a função de administrador Diocesano até que o novo Bispo seja empossado, cuja data ainda não foi anunciada pela Igreja Católica.


O Bispo Paulo Jakson é natural de Patos, na Paraíba e tem 46 anos. Nascido em 17/04/1969 em São José de Espinharas - PB, foi ordenado Padre em 17/12/1993 e desde 3 de fevereiro de 2013, está a frente daParóquia Bom Jesus do Horto, na Arquidiocese de Belo Horizonte-MG. O novo Bispo da Diocese local possui Mestrado e Doutorado em Exegese Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma e também já atuou como professor na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC).

Fachin: divisão no PMDB ajudou o governo




Da Folha de S.Paulo – Andréia Sadi e Valdo Cruz

A operação para aprovar a indicação de Luiz Edson Fachin para o STF (Supremo Tribunal Federal) foi possível graças a um racha na cúpula do PMDB do Senado, que costuma atuar em uníssono em questões polêmicas na Casa.
Em rota de colisão com a presidente Dilma Rousseff, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) trabalhou nos bastidores contra Fachin, mas não teve o apoio de seus colegas Romero Jucá (PMDB-RR) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), que tradicionalmente votam alinhados em plenário.
O presidente do Senado nega que tenha trabalhado contra a indicação de Fachin. Até a véspera da votação, peemedebistas tentaram demover Renan. Derrubar a indicação de Fachin seria, segundo eles, comprar briga com o Judiciário e o Executivo num momento turbulento por causa da Operação Lava Jato.

Vossa Excelência: a PF e a falta do que fazer




Deve estar faltando trabalho na Polícia Federal,avalia Lauro Jardim, na sua coluna da Veja.
Ou pelo menos na Superintendência da PF no Amapá, diz o colunista:
A Corregedoria do Amapá enviou uma circular para todos os servidores exigindo que os delegados sejam tratados por “vossa excelência” – como são chamados os procuradores e juízes.
O memorando diz mais:
ao fim dos memorandos, nada de “atenciosamente”. O correto, ao se dirigir a um delegado, seria “respeitosamente”.
 
A propósito, a Associação dos Delegados de Polícia do Brasil entrou no STF com uma ação direta de inconstitucionalidade contra uma resolução do Conselho Nacional do Ministério Público que autoriza os ministérios públicos de todo o país a fazer grampos telefônicos e armazenar dados das interceptações sem depender da polícia.
A decisão, tomada pelo CNMP no fim de abril, ocorreu após um pedido de providências da OAB de 2012 e contrariou o voto do relator do caso no conselho, Fabiano Silveira, hoje no CNJ.
Em 2013, o voto de Fabiano determinava inspeções das corregedorias dos MPs a cada 90 dias, acompanhadas de relatórios de seus status. Cada MP também deveria prestar contas sobre quais investigações eram exclusivas e quais eram executadas pela polícia. O relator será Luís Roberto Barroso.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Senado aprova a indicação de Fachin

Do  UOL

O Senado aprovou, há pouco, a indicação do jurista Luiz Edson Fachin como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele obteve 52 votos a favor, 27 votos contra e nenhuma abstenção. Para ter o nome aprovado, Fachin precisava do voto favorável de 41 senadores. Fachin ocupará a vaga aberta pela saída do ex-ministro Joaquim Barbosa em 2014.
A aprovação do jurista é vista como uma vitória do governo que se empenhou para que o jurista tivesse seu nome aprovado junto aos senadores. Ao longo das últimas semanas, o nome do advogado foi alvo de intensas críticas de parlamentares da oposição. Ainda não há data prevista para a posse de Fachin como ministro do STF.
Luiz Edson Fachin tem 57 anos de idade, é formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná (onde é professor titular) e sócio-fundador da banca Fachin Advogados Associados. Suas especialidades são Direito Civil e de Família. Ele é mestre e doutor em Direito pela PUC de São Paulo e foi pesquisador do Instituto Max Planck, na Alemanha, além de ter sido professor-visitante do King´s College, no Reino Unido.
A presidente Dilma Rousseff (PT) indicou o jurista no dia 14 de abril, nove meses depois da saída do ex-ministro Joaquim Barbosa. A confirmação da indicação de um candidato à vaga de ministro do STF passa por duas fases no Senado. A primeira é sabatina na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. A segunda é a votação da indicação no Plenário da Casa.
A confirmação da indicação de Fachin para o STF foi marcado pela tensão entre governo e oposição. Desde o anúncio de seu nome, o jurista mobilizou sua equipe para visitar senadores em busca de apoio.
Parlamentares de oposição e do PMDB criticaram a indicação de Fachin por conta do apoio que o jurista deu à então candidata Dilma Rousseff à Presidência em 2010, suas manifestações em relações a movimentos sociais e à poligamia e em relação ao exercício da advocacia durante o período em que Fachin exerceu o cargo de procurador do Estado do Paraná, entre 1990 e 2006.
Para lidar com a oposição ao seu nome, a equipe de Fachin criou um site na internet onde foram postados vídeos em que o jurista aparece se defendendo das principais críticas feitas a ele.
Mesmo com toda a resistência criada pela oposição, ele obteve 20 votos a favor sete contrários na sabatina realizada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, na semana passada. A sabatina durou mais de 12 horas.
Além de vencer a resistência de parlamentares de oposição, Fachin superou as ressalvas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) ao seu nome.
Em março deste ano, em meio à polêmica relativa à demora para que Dilma indicasse o substituto de Joaquim Barbosa, Renan disse que qualquer indicação feita com a "digital do PT", não passaria pelo Senado.

Para vencer a resistência de Renan ao nome de Fachin, a presidente Dilma Rousseff chegou a conversar pessoalmente com o presidente do Senado para evitar que sua indicação fosse barrada no Senado

Pernambuco e Ceará trocam experiências no segmento da Primeira Infância

Trocar experiências e boas práticas no segmento da Primeira Infância. Com esse objetivo, a primeira-dama de Pernambuco, Ana Luíza Câmara, recebeu, nesta terça-feira (19), a primeira-dama do Ceará, Onélia Leite, que foi apresentada às políticas públicas, projetos e programas implantados pelo Governo do Estado na área. Entre as ações, o Mãe Coruja, premiado internacionalmente e que servirá como base para um programa semelhante naquele Estado.

Ana Luíza Câmara destacou a importância de trocar experiências que têm dado resultado e transformado vidas. “Pernambuco e Ceará têm realidades muito semelhantes. Dois estados do Nordeste, pobres, mas com um grande potencial criativo e muita vontade de fazer a diferença. Então, a troca de experiências é fundamental para implantar bons programas, fazer um bom governo e mudar a realidade das pessoas”, argumentou.

Ao ressaltar como seu maior objetivo conhecer “de perto” o Mãe Coruja, a primeira-dama cearense classificou o intercâmbio como positivo. “O Mãe Coruja é um programa lindo, espetacular, com bons resultados. Ele vai ao encontro da mãe desde a gestação até os cinco anos de idade da criança. Eu costumo dizer que a fase mais importante é de zero aos sete anos; é a formação da personalidade, do desenvolvimento cognitivo e afetivo da criança”, avaliou.

Também participaram da reunião a médica e coordenadora do Mãe Coruja, Bebeth de Andrade Lima, o secretário-executivo de Políticas para Criança e Juventude, João Suassuna, e gestores que atuam na pasta.


Brasil e China selam investimentos de US$ 53 bi

BRASÍLIA (Reuters) - Brasil e China assinaram nesta terça-feira acordos que superam os 53 bilhões de dólares para investimentos e contratos de cooperação financeira, assegurando um fluxo de capital importante para a economia brasileira no momento em que busca se recuperar.
"O Brasil atribui grande importância à assinatura desse acordo sobre investimento e capacidade produtiva... nas áreas de energia elétrica, mineração, infraeraestrutura e manufaturas", disse a presidente Dilma Rousseff ao lado do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, em visita ao Brasil.
Dilma também anunciou que será criado um fundo de 50 bilhões de dólares para investimentos no Brasil em infraestrutura, pela Caixa Econômica Federal e o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC), confirmando reportagem da Reuters da semana passada.
"O primeiro-ministro (chinês) e eu reafirmamos a importância também de nossas relações financeiras. O acordo entre a Caixa Econômica e o Banco Industrial e Comercial da China criará um fundo de 50 bilhões de dólares, fortalecendo as opções para financiamento de projetos de infraestrutura no Brasil", declarou Dilma.
Os investimentos em infraestrutura são a principal aposta da equipe do governo Dilma para retomar a atividade econômica. O Produto Interno Bruto (PIB) deve ter contração de 1,20 por cento em 2015, segundo boletim Focus do Banco Central, depois de ter apresentado variação positiva de 0,1 por cento no ano passado.
GRANDES EMPRESAS
Os acordos de cooperação com a China envolvem grandes empresas brasileiras, como Petrobras, Vale e Embraer.
No caso da estatal petroleira, foram firmados dois acordos para financiamento de projetos somando 7 bilhões de dólares. O maior deles, no valor de 5 bilhões de dólares, é com o Banco de Desenvolvimento da China (CDB).
No começo de abril, a Petrobras já tinha firmado contrato de financiamento de 3,5 bilhões de dólares com o CDB.
Já a Vale fechou nesta terça a venda de quatro navios Valemax, para transporte de minério de ferro, à China Merchantz Energy Shipping (CMES). A mineradora brasileira também ampliou um acordo de cooperação financeira de 4 bilhões de dólares com a China, segundo autoridades.
A Embraer, por sua vez, formalizou um contrato já conhecido para vender 22 aviões regionais a uma companhia aérea chinesa, em um negócio de 1,1 bilhão de dólares a preços de tabela. Há previsão de que o acordo seja ampliado adiante para incluir outras 18 aeronaves da fabricante brasileira.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiará a exportação dos pedidos chineses à Embraer no montante de até 1,3 bilhão de dólares.
Em outra frente, o chinês Bank of Communications anunciou a compra de cerca de 80 por cento do banco brasileiro BBM por estimados 525 milhões de reais, marcando a primeira aquisição do grupo no exterior.

"A proposta de aquisição do Banco BBM é a primeira compra do Bank of Communications no exterior. Também marca o primeiro passo da expansão do banco na América Latina", disse o banco chinês em comunicado, lembrando que a China vem sendo o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009.