segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Dilma defende Graça: ‘a quem interessa demissão?’

247 – A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta manhã a permanência de Graça Foster à frente da Petrobras, mesmo diante das denúncias de corrupção contra a empresa. Durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, ela disse que, do seu ponto de vista, "não é necessário" que ela coloque seu cargo à disposição. Graça informou na semana passada ter colocado seu cargo à disposição de Dilma.
"Ela disse que, diante de toda essa exposição, se a Petrobras for prejudicada de alguma forma – ou o governo – ela, então, coloca o cargo à disposição sem o menor constrangimento. Eu falei para ela que, do meu ponto de vista, isso não é necessário", afirmou a presidente nesta segunda-feira 22. Dilma ressaltou que a situação da executiva "não é fácil", mas que não pode penalizá-la sem que haja falhas contra ela.
"A situação dela não é uma situação fácil. Ela recebe todos os dias uma pressão que poucas pessoas seguram – e ela segura, pelos compromissos que ela tem com a Petrobras. Acho que criou-se um clima sem apontar sequer uma falha dela. Mas só porque o clima está muito difícil para ela eu preciso tirá-la? Eu penalizo ela por algo que não é responsabilidade dela? A quem interessa tirar a Graça Foster? O que tem por trás disso? ", questionou.
Dilma voltou a defender Graça das denúncias de irregularidades na estatal. "Eu conheço a Graça, sei da seriedade da Graça, da lisura da Graça. A Graça assumiu a direção da Petrobras e mudou toda a diretoria. Abriu todas as investigações que estão em curso. Não tenho nenhuma indicação de que falta credibilidade para a Graça Foster", afirmou.

Vital do Rêgo toma posse como ministro do TCU




Acontece na manhã desta segunda-feira a posse de Vital do Rêgo (PMDB-PB) como ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). A solenidade, que será presidida pelo presidente do tribunal, Augusto Nardes, acontece no próprio TCU, segundo a assessoria de Vital.
A nomeação do senador para assumir uma vaga de ministro do TCU foi publicada na edição de sexta-feira do Diário Oficial da União. O decreto foi assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff (PT).
Com apoio do PMDB, Vital foi indicado pelo Senado para ocupar a vaga do ministro José Jorge, que se aposentou compulsoriamente e deixou o tribunal. Jorge completou 70 anos e, pela lei, atingiu a idade máxima para magistrados.
O nome dele para o cargo foi aprovado em votações no Senado e na Câmara dos Deputados. No Senado, o placar favorável foi de 63 votos a 1. Já na Câmara, a indicação teve 313 votos favoráveis, 8 contrários e 8 abstenções. Um deputado decidiu obstruir,  quando a sua presença não é computada para quórum.
Vital tem mandato de senador até 2019 e ocupa atualmente a presidência de duas comissões parlamentares de inquérito instauradas para apurar denúncias contra a Petrobras.
(Do blog de Magno Martins)

Erundina se recupera de infarto e cirurgia em SP

 Erundina (PSB-SP) foi uma das ausências mais notadas na cerimônia de diplomação dos candidatos eleitos, na sexta, na Sala SP. A deputada se recupera de um infarto que sofreu há cerca de um mês, informa Mônica Bergamo, hoje na sua coluna da Folha de S.Paulo.
Ela implantou stents em duas artérias. "Agora estou muito bem", afirma a parlamentar, que preferiu diminuir o ritmo neste fim de ano para começar 2015 em plena forma.(Do blog de Magno Martins)

domingo, 21 de dezembro de 2014

Prefeito tucano dá rombo de até R$ 30 milhões/mês



Jânio de Freitas - Folha de S.Paulo
 Se respeitadas as proporções, 'a maior corrupção da história' nem acabou de ser apurada na Lava Jato, mas seu título já passou da gigante Petrobras para o minúsculo município fluminense de Itaguaí. Seu prefeito de apenas 32 anos, Luciano Mota(PSDB), montou um bando que desviou POR MÊS, pelo apurado até agora, entre R$ 10 milhões e R$ 30 milhões da prefeitura, cuja arrecadação mensal média é de R$ 90 milhões.
Os desvios incidiram sobretudo nos repasses do governo federal, por participação no pré-sal e para o SUS.
Vou falar baixinho, para o senador Aécio Neves não ouvir: Luciano Mota foi até agora um dos jovens políticos promissores, com outros integrantes da quadrilha, do PSDB.

Roseana terá pensão vitalícia de R$ 25 mil

(Foto: Foto: Handson Chagas/ Governo do Maranhão)
A ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB), que renunciou ao mandato há 10 dias, receberá uma aposentadoria vitalícia de R$ 25 mil por mês. Ela somará esse valor aos R$ 23 8 mil que já recebe por ser aposentada do Senado desde 2013. A ex-governadora também terá à sua disposição de forma vitalícia cinco funcionários e um carro, bancados com recursos estaduais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
(Fonte: Estadão Conteúdo)

Para Lyra: “O PSB terá que construir o seu líder"

Governador disse que Paulo Câmara não pode ser taxado como líder do partido (Foto: Leo Motta/ Folha de Pernambuco)
O governador João Lyra (PSB) ingressou na gestão do Estado com um prazo de validade. O socialista substituiu o ex-governador Eduardo Campos (PSB) em abril deste ano, mas não foi escolhido para sucedê-lo. O gestor sempre afirma que não guardou mágoas do neto de Miguel Arraes – apesar de não ter sido consultado sobre a sucessão – e também não tem nenhum problema com Paulo Câmara (PSB), que assumirá o seu lugar no próximo ano. No entanto, em entrevista à Folha de Pernambuco e ao Blog da Folha, ele afirma que ainda é cedo tachar o futuro governador como a principal liderança do PSB. Segundo Lyra, “é preciso construir um novo líder para o partido”.
“Eu não acho que não cabe o nome de tutela de Eduardo sobre Paulo Câmara. Acho que cabe que ele era liderado por Eduardo Campos. Agora, nós estamos sem o líder estadual do PSB. E essa liderança não se transfere e não é identificada pelo cargo. Ela tem que ser construída. Nós não temos uma liderança estadual do PSB. Temos pessoas que ocupam cargos importantes”, disse João Lyra.
De acordo com o socialista, uma nova liderança no partido pode surgir no mandato de Paulo Câmara. Para ele, mesmo com a falta de um líder, não há risco de haver uma disputa interna na sigla.
“Acho que isso faz parte da atividade política. Disputas, divergências, convergências. Uma disputa não é racha. Nacionalmente, há um novo governador em Brasília, Rodrigo Rollemberg (governador eleito do Distrito Federal). Vai se tornar ou não uma liderança nacional? Não sei. Ele foi um bom senador, tem uma responsabilidade imensa. Márcio França, em São Paulo, vai ser vice-governador do maior estado do País, qual vai ser o papel dele no PSB? Ele é uma liderança forte em São Paulo. Tem Renato Casagrande, que perdeu a eleição no Espírito Santo, mas teve a gestão aprovada e é presidente da Fundação Mangabeira. Que papel ele vai ter? Pernambuco é um Estado importante? É. Mas o PSB não tem uma liderança nacional”, explicou

Expectativa sobre a duração da unidade da Frente Popular

Por Ricardo Dantas Barreto e Amanda Seabra
Da Folha de Pernambuco
A chamada unidade será acompanhada ao longo dos próximos dois anos. Vale lembrar que, em 2010, Eduardo Campos foi reeleito governador, tendo na aliança o PTB e o PT. Ambos tiveram secretários de Estado, mas romperam no meio do caminho e viraram adversários este ano. Nestes dois partidos, ainda não se aponta alguém para concorrer à Prefeitura do Recife.
Na Frente Popular, contudo, além de Geraldo Julio, há o deputado federal eleito Daniel Coelho (PSDB) e a futura estadual Priscila Krause (DEM), que se consideram independentes. O DEM, inclusive, ainda será contemplado, possivelmente, no comando do Lafepe.
A manobra do governador eleito Paulo Câmara para compor o seu secretariado é classificada pelo cientista político Túlio Velho Barreto como uma atitude puramente política. “Acho que essas escolhas não foram feitas com objetivo primordial de ter a melhor equipe, tecnicamente falando. Elas foram feitas com o objetivo de ter a melhor equipe, considerando o jogo político”, avalia.
Já o também cientista Juliano Domingues acredita que houve um equilíbrio entre o critério técnico e político. “A escolha de secretariado tende a ser o resultado de um cálculo complexo em que se pesa, principalmente, a habilidade política do escolhido, sua competência enquanto gestor e o atendimento aos interesses de grupos aliados. Não há, portanto, secretariado puramente técnico ou puramente político. O cenário parece tender ao equilíbrio”, analisa.

Edilson Silva: Critica homenagem à Eduardo foi “apelativa”

(Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco)
Pelas redes sociais, o deputado estadual eleito Edilson Silva (PSOL) criticou a condução da cerimônia de diplomação dos eleitos em Pernambuco, realizada na última sexta-feira (19), no Centro de Convenções. Para ele, a presença de Renata Campos (viúva do ex-governador Eduardo Campos) na mesa dos trabalhos evidenciou a ausência do princípio de impessoalidade na administração pública.
“Na cerimônia de diplomação dos eleitos em 2014, podemos ver e sentir o quanto em nosso Estado o conceito de República está desidratado. Numa mesa de autoridades formais, representando INSTITUIÇÕES (sic), foi colocada a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos (…) Não faz bem aos princípios republicanos este tipo de situação. A companheira de alguém tão importante na política do Estado, vítima de uma tragédia tão absurda, cabia sim na solenidade, mas não como instituição. Mais “exótico” ainda foi o fato da viúva ter sido incumbida de “diplomar” o governador eleito, Paulo Câmara (PSB), sendo convidada pelo cerimonial a entregar-lhe o diploma, quando a formalidade, penso eu, deveria ter sido feita pela mais alta autoridade da Justiça Eleitoral no Estado”, escreveu em sua página do Facebook.
Homenagem
Em sua Fanpage, Edilson também afirmou que as homenagens a Eduardo Campos foram exageradas. “Durante o discurso de diplomação do governador eleito, ele exibiu um vídeo com imagens do ex-governador Eduardo Campos, numa medida mais apelativa do que de homenagem, confundindo uma solenidade da democracia com mais um momento de exaltação de uma determinada força política. Eduardo Campos mereceria homenagem consensual – de todas as forças políticas presentes -, mas num momento adequado, ecumênico, não no momento do discurso do vencedor”, ressaltou(Do blog da folha)

A tabelinha entre a mídia e ao Judiciário

Texto de Ricardo Kotscho: A mídia livre contra a velha mídia e a Justiça tucana

"O Brasil vive não somente uma crise moral, mas também a da razão. Talvez prepare o caminho para outra, maior e fatal. Algo é certo: o Brasil não está maduro para o jornalismo honesto".
(Assim termina a coluna de Mino Carta, na Carta Capital desta semana, publicada sob o título "Gigolette em Estocolomo", que vale a pena ler).
***
Algo de revolucionário anda acontecendo na relação entre produtores e consumidores de informações em nosso país. Esta semana, por exemplo, destaquei uma contradição entre o bombardeio sem tréguas desfechado pela velha mídia familiar contra Dilma Rousseff e o PT, ao mesmo tempo em que a aprovação e a popularidade da presidente subiam no Ibope.
Chamo de velha mídia familiar os grandes grupos de comunicação comandados pelos herdeiros de meia dúzia de barões, em contraposição à nova mídia livre que se tornou possível, e não para de crescer, desde o advento da internet, que permitiu a todo mundo se tornar, ao mesmo tempo, emissor e receptor de informações e opiniões.
Trata-se, enfim, da democratização da mídia, com a multiplicação de plataformas e agentes, acabando com o poder dos donos da verdade e seus porta-vozes, os antigos "formadores de opinião", hoje hospedados no Instituto Millenium.
A primeira vez em que notei esta clara oposição entre a nova e a velha mídia foi na campanha presidencial de 2010, quando o então candidato tucano José Serra batizou todos os que se opunham a ele de "blogs sujos", certamente para diferenciá-los dos "blogs limpinhos" e seus donos, que o apoiavam.
Desta forma, os jornalistas não alinhados ao tucanato estariam condenados ao opróbio, blogueiros sem ccredibilidade, mas, com bom humor, muitos deles até adotaram a classificação nos encontros que passaram a promover para unir forças.
A divisão das mídias voltou a ser feita esta semana pelo jornal Folha de S. Paulo, ao divulgar os gastos com publicidade feitos pelo governo federal e as empresas estatais, no período entre 2000 e 2013.
Na divisão do bolo, segundo o próprio jornal, os grandes grupos da velha mídia ficaram com R$ 8,66 bilhões, restando cerca de 0,5% deste valor para o que a Folha definiu como "mídia alinhada ao governo", ou seja, chapa-branca.
Diante desta disparidade colossal, Mino Carta, com a agudez de costume, comentou em sua coluna:
"Dirá o desavisado: alinhados e mal pagos (...). Ao listar os pretensos alinhados e não qualificar os demais, a Folha nos atribui o papel de jornalistas de partido e com isso fornece outra prova: como sempre, obedece aos seus naturais pendores e, no caso, manipula a informação e omite a qualidade dos demais, alinhados de um lado só, guiados pelo pensamento único enquanto, hipócritas inveterados, declaram sua isenção, equidistância, pluralidade. Ou seja, inventam e mentem".
Por mais que estejam perdendo audiência e circulação, estes veículos da velha mídia mantêm poder e faturamento, graças a uma sólida aliança construída nos últimos tempos com alguns representantes das mais altas instâncias do Judiciário a serviço do tucanato, como vimos no episódio do mensalão e se repete agora com o que chamam de petrolão.
Na verdade, esta tabelinha entre os nobres da mídia e da Justiça ocupa o espaço deixado pela oposição partidária, agora mais destrambelhada e perdida do que nunca no combate ao governo petista, como já admitiu a própria Associação Nacional dos Jornais (ANJ).
Já não dá para saber se é a mídia que pauta o Judiciário, ou vice-versa, na mesma data. Nem é preciso citar nomes, para não fulanizar a questão, tão descarada é a atuação de alguns dos líderes desta aliança, que se autonomeou defensora da ética, do bem e dos "brasileiros decentes" (em alguns casos, parece até brincadeira...).
Ou alguém pode acreditar que eles estão mesmo preocupados em combater os fichas sujas da política (até o nosso eterno Paulo Maluf voltou a ficar com a ficha limpa, graças à Justiça) e os desmandos na Petrobras, já que o único objetivo é privatizar nossa maior empresa, de preferência nas mãos de empresas estrangeiras?
Como escrevi aqui na sexta-feira, não faço nenhuma questão de ter razão. Basta-me escrever o que penso sem pedir licença a ninguém.
Agora, abro este espaço para que os caros leitores do Balaio ocupem meu lugar e também digam o que pensam sobre o assunto. Não precisam concordar comigo. Mídia livre é isso: cada um pensa e diz o que quer. Manifestem-se

Dilma cumprimenta Gabriel Medina por título mundial de surfe

Da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O surfista paulista Gabriel Medina durante o Billabong Rio Pro 2014, etapa brasileira do circuito mundial de surfe (WCT), na praia da Barra da Tijuca. Fotos de Fernando Frazão
O surfista paulista Gabriel Medina durante o Billabong Rio Pro 2014, etapa brasileira do circuito mundial de surfe (WCT), na praia da Barra da TijucaFernando Frazão/Todos Direitos Reservados
A presidenta Dilma Rousseff cumprimentou o surfista Gabriel Medida, que conquistou na sexta-feira (19) o campeonato mundial na principal categoria do esporte. Por meio das redes sociais, ela elogiou o atleta pelo primeiro título ao país no surfe profissional. “Parabéns ao @gabriel1medina, primeiro brasileiro campeão mundial de surfe! Orgulho do Brasil! #ValeuMedina”, escreveu Dilma na rede social Twitter.
Paulista de 20 anos, Medina tornou-se o primeiro brasileiro campeão mundial de surfe profissional nas ondas de Pipeline, no Havaí. Ele conquistou o título ainda nas quartas de final da 11ª e última etapa do circuito porque o segundo colocado do ranking, o australiano Mick Fanning, havia sido derrotado numa bateria por outro brasileiro, Alejo Muniz.
Já de posse do título mundial, Medina ainda chegou à final do Billabong Pipe Master, mas foi derrotado pelo australiano Julian Wilson, terminando a etapa em segundo lugar. Medina não é só o primeiro brasileiro a conquistar o campeonato da principal categoria do surfe mundial, mas também é o primeiro latino-americano a se sagrar o melhor do mundo desde 1976, quando foi criado um circuito mundial com várias etapas, nos moldes do atual.
A conquista de Medina coincide com os 80 anos da prática do surfe no país, quando o primeiro brasileiro se equilibrou sobre uma pesada prancha de madeira e deslizou sobre uma onda na praia de Santos (SP), em 1934. Desde que o esporte se profissionalizou, no fim da década de 1970, vários brasileiros conquistaram títulos mundiais na divisão de acesso à elite do surfe e em outras categorias (amador e júniores) e modalidades – longboard (praticada com pranchas maiores), ondas gigantes e stand up paddle (SUP). Mas o melhor resultado alcançado até agora por um brasileiro no ranking final da categoria mais disputada foi o terceiro lugar do cabofriense Victor Ribas, em 1999

Governo deve não convocar mais aprovados em concurso da PM

Na sequência do primeiro encontro com os novos secretários, neste sábado (20), o governador eleito Paulo Câmara (PSB) comentou a situação dos aprovados no concurso da Polícia Militar que ainda aguardam a convocação desde 2009. O socialista argumentou que aqueles que não foram convocados para fazer os testes físicos não deverão mais ser chamados.
Segundo o socialista, o governo não vai conseguir aproveitar todos os aprovados antes do vencimento do concurso, em fevereiro de 2015. “Se não chegaram a ser chamados para os testes, não dá tempo para fazer os testes e concluir o concurso até fevereiro. Tudo que foi possível fazer para aproveitar o máximo de classificados neste concurso, dentro do prazo que nós tínhamos, está sendo feito. Temos uma expectativa de chamar esse ano algo em torno de 2 mil novos PMs para serem incluídos”, explicou.
Câmara lamentou a impossibilidade de incorporar todos os aprovados, mas garantiu a realização de novos concursos em seu governo. “Não dá para chamar todos os classificados. Não dá porque não teve tempo hábil para isso. Agora, uma área como essa, eu posso afirmar aqui claramente para vocês que tão logo se vença esse concurso, a gente já vai dar início aos preparativos para ter outro”, frisou.
No mês de novembro deste ano, o governo divulgou uma lista com 3.500 aprovados na primeira etapa do concurso, realizado em 2009. Os melhores colocados passaram para a segunda fase da seleção, iniciada no dia 4 de dezembro, com teste psicológico. Um grupo de aprovados que ainda aguarda a convocação realizou uma manifestação no dia da diplomação dos eleitos, realizada nesta sexta-feira (19) no Centro de Convenções. 
Do blog da folha

Vox Populi: FHC foi quem menos combateu corrupção



247 – Um levantamento realizado pelo Vox Populi revela que boa parte da população atesta o discurso do governo petista de que as denúncias sobre corrupção são reveladas em maior número recentemente porque os governantes deram autonomia para que os esquemas fossem descobertos e os responsáveis, presos.
Segundo a mostra do instituto, que contém 2,5 mil entrevistas feitas em 178 municípios brasileiros entre os dias 5 e 8 de dezembro, 31% acreditam que o ex-presidente Lula foi quem "mais combateu a corrupção" entre os três últimos chefes do Executivo federal. Em segundo lugar, vem a presidente Dilma Rousseff, com pequena diferença: 29%. E em último, o tucano Fernando Henrique Cardoso.
"Feitas as contas, 60% escolheram um governante do PT, enquanto FHC nem sequer atinge um quarto do eleitorado que votou no PSDB em outubro", constata o presidente do Vox Populi, Marcos Coimbra, que divulgou os dados na revista CartaCapital desta semana. Ele criticou o fato de a "grande mídia" não ter feito pesquisas sobre a crise na Petrobras.
"Exagero. Houve uma, realizada pelo Datafolha no início de dezembro. Ficou famosa pela extravagante manchete gerada a partir da leitura das informações pela Folha de São Paulo, dona do instituto: "Brasileiro responsabiliza Dilma por caso Petrobras". Nenhum outro levantamento foi encomendado. Como se aquele resolvesse a questão e o resultado bastasse. Como se não fosse tão questionável que até a ombudsman do jornal criticaria a despropositada matemática usada pelos editores ao noticiá-la", critica.
Ainda segundo Coimbra, "apenas 13% dos entrevistados não tinham ouvido falar das denúncias de irregularidades na empresa. Em outras palavras, 86% da população as conhecia, sem variações significativas segundo os níveis de escolaridade".
Entre quem tinha ouvido falar no assunto, 69% acreditavam que "as irregularidades na Petrobras vêm de antes do PT (chegar ao governo federal)". Dos restantes, 23% disseram achar que "começaram com o PT" e 8% "não sabiam". Sobre quais partidos estariam "envolvidos nas irregularidades", 7% dos entrevistados responderam "só o PT" e 18% cravaram "o PT e os partidos da base aliada, como PMDB, PP etc". Os dois terços restantes disseram que "todos os partidos, incluindo o PSDB, o PSB e o DEM".

Choro de perdedor


Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo
O PSDB pediu à Justiça Eleitoral que anule os votos de Dilma Rousseff e entregue a faixa de presidente ao candidato derrotado Aécio Neves. A ação tem 54 páginas e um início espantoso. Afirma que a petista teve uma 'pífia vitória nas urnas' e que sua legitimidade é 'extremamente tênue', apesar da vantagem de 3,4 milhões de votos. Por dever de ofício, continuei a leitura.
O primeiro argumento tucano é que Dilma abusou do poder político ao convocar cadeias de rádio e TV para se promover. É verdade, mas ela já foi condenada e multada por isso.
Os exemplos citados são de março, no Dia da Mulher, e maio, no Dia do Trabalho. A campanha só começou em julho, e depois Marina Silva e o próprio Aécio chegaram a ultrapassar a petista nas pesquisas. Atribuir sua reeleição a dois pronunciamentos no primeiro semestre é uma ofensa ao eleitor, que já foi punido com a overdose de exposição dos três candidatos na propaganda obrigatória.
Algumas páginas adiante, o PSDB afirma que sindicatos apoiaram a candidata do PT. É uma acusação tão ociosa quanto dizer que bancos cerraram fileiras com o tucano.
Como provas, o texto enumera outdoors espalhados por professores mineiros em endereços como a rua 33, em Ituiutaba, e a avenida Pau Furado, em Uberlândia. Se Aécio pensa ter encontrado aí a razão do fracasso em seu próprio Estado, o PT já pode gelar o champanhe para 2018.
A ação ainda enfileira irrelevâncias como a publicação de notícias simpáticas à presidente em um site oficial e o transporte gratuito de eleitores para um comício em Petrolina.
Por fim, o PSDB cita Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da Petrobras, para sustentar que Dilma foi bancada por empreiteiras corruptas. Muitas também financiaram Aécio, mas isso é o de menos. Se as denúncias forem confirmadas ao fim do processo, a oposição poderá até defender o impeachment da presidente. Tentar impedir sua posse agora, no tapetão, parece apenas choro de perdedor

Vai pra Cuba: a ‘abertura’ e a Joia do Caribe



Leandro Mazzini - Coluna Esplanada
 A celebrada reaproximação oficial entre Estados Unidos e Cuba foi comemorada por Obama e Raúl Castro, mas a ‘abertura’ não envolve o bloqueio econômico. Mas há dois motivos puramente econômicos na gentilidade dos americanos. Considerada a Joia do Caribe, o Porto de Mariel – que acaba de ser erguido com verba do Brasil, via BNDES e até com doação – será o maior entreposto comercial marítimo e a melhor rota para a Europa e Ásia. E o presidente russo Vladmir Putin acaba de perdoar uma dívida de US$ 35 bilhões do regime, além de anunciar investimentos de US$ 3,5 bilhões na ilha. Ou seja, os EUA não querem perder para a Rússia a operação de Mariel.
A decisão dos EUA de restabelecer relações começou com uma grande jogada de Raúl. Ele ofereceu a operação do porto aos americanos, mas depois convidou o concorrente.
Os yankees enviaram o presidente da Câmara de Comércio dos EUA, e Raúl, esperto, na semana seguinte recebeu o presidente russo Vladmir Putin e ofereceu o mesmo.
A Coluna cantou na edição de 4 de junho, Raúl leiloa entre Rússia e EUA o porto, e o final desta história pode ser um mico para o governo do Brasil: pagou e não levou.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Dilma nomeia Vital do Rego para cargo de ministro do TCU


Vital do Rêgo Neto - foto Agência Brasil
O Diário Oficial da União desta sexta-feira (19) publica o ato da presidente Dilma Rousseff nomeando o senador Vital do Rêgo Neto (PMDB-PB) para o lugar do pernambucano José Jorge no Tribunal de Contas da União.
José Jorge completou 70 anos no dia 18 de novembro e, pela Constituição, teve que se aposentar compulsoriamente.
Vital do Rego teve o seu nome aprovado pelo Senado para o cargo de ministro do TCU por 63 votos a favor e apenas um contra. Já na Câmara Federal o nome dele foi aprovado por 313 x 8.
O senador paraibano, que terá que renunciar ao mandato, presidiu as duas CPIs da Petrobras do Congresso sobre denúncias de corrupção na estatal.
Ele também comandou a Comissão de Constituição e Justiça do Senado e relatou o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2015, que serve de base para a elaboração do Orçamento.
Vital vai relatar no TCU todos os processos envolvendo a Petrobras que estavam sob a relatoria do seu antecessor, José Jorge.

Escola que ensinou brasileiros a torturar



 Ricardo Boecht - ISTOÉ
Principal ONG americana dedicada à formulação de políticas públicas para a América Latina – o Council on Hemispheric Affairs – aplaudiu o Relatório da Comissão da Verdade no Brasil. Ao fazê-lo revelou um horror. De 1954 a 1985, 300 militares brasileiros cursaram a Escola das Américas, operada pelo governo dos EUA.
As aulas sobre como administrar sessões de tortura tinham por base um modelo criado pelo Exército francês (na luta contra a independência da Argélia) e técnicas da CIA, da Guerra do Vietnã. Criminosos de guerra nazistas, contratados pelo governo americano, também ensinaram tortura aos brasileiros.
O prédio da Escola das Américas no Panamá,(foto) hoje, abriga o Hotel Melia. Tão insólito como se a casa da morte em Petrópolis virasse uma pousada para turistas.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Medina dá ao Brasil o primeiro título mundial na principal categoria do surf


Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil
O paulista Gabriel Medina, 20 anos, tornou-se hoje (19) o primeiro brasileiro a faturar o título de campeão mundial de surf profissional. Após vencer o havaiano Dustin Payne e avançar para as quartas de final da décima  primeira e última etapa do circuito, disputada nas ondas de Pipeline, no Havaí, Medina viu seu conterrâneo Alejo Muniz vencer o australiano Mick Fanning, 33, segundo colocado no ranking, o que lhe garantiu o título da temporada. O Billabong Pipe Master ainda não foi concluído.
Acompanhado pela internet por milhares de pessoas, o campeonato mobilizou Maresias, praia de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, onde Medina mora e aprendeu a surfar. “O clima aqui é de uma final de Copa do Mundo”, disse à Agência Brasil o bacharel em direito e surfista, Marcos Antônio Ferreira Tenório Júnior. Com um grupo de amigos moradores de São Sebastião, todos praticantes de surf, Júnior viabilizou a instalação de um telão para exibir o evento para quem não tem acesso à internet. “Muitos jovens pobres de São Sebastião surfam, e o sonho de muitos é virar surfista profissional. Isso já acontecia antes, mas agora, com o sucesso do Medina, do Miguel Pupo e do Filipe Toledo, ficou ainda maior. A praia, hoje, parou”.
A conquista de Medina coincide com os 80 anos da prática do surf no país, quando o primeiro brasileiro se equilibrou sobre uma pesada prancha de madeira e deslizou sobre uma onda na praia de Santos (SP), em 1934. Desde que o esporte das ondas se profissionalizou, no final da década de 1970, vários brasileiros conquistaram títulos mundiais na divisão de acesso à elite do surf e em outras categorias (amador e júniores) e modalidades - longboard (praticado com pranchas maiores); ondas gigantes e stand up paddle (SUP). Mas o melhor resultado alcançado até agora por um brasileiro no ranking final da categoria mais disputada foi o terceiro lugar do cabofriense Victor Ribas, em 1999.
Medina não é só o primeiro brasileiro a conquistar o campeonato da principal categoria do surf mundial, ele também é o primeiro latino-americano a se sagrar o melhor do mundo desde 1976, quando foi criado um circuito mundial com várias etapas, nos moldes do atual. Antes disso, apenas o peruano Felipe Pomar exibia o título de campeão do mundo, obtido em 1965, com a vitória no primeiro campeonato mundial oficial da história, ocorrido em uma única etapa. A partir daí, o esporte foi dominado por norte-americanos, australianos e havaianos (apesar de o Havaí ser um estado norte-americano, seus surfistas competem como se fossem uma nação independente).
Por pouco Medina não tirou do fenômeno Kelly Slater o título de mais jovem surfista a vencer o circuito mundial. Quando conquistou o seu primeiro título, em dezembro de 1992, Slater estava prestes a completar 20 anos e dez meses. Já Medina completará 21 anos na próxima segunda-feira (22). Slater, que está com 42 anos, é também o mais velho surfista a se sagrar campeão de um esporte que, além de força física, exige flexibilidade, resistência e equilíbrio.
O título da Associação Profissional de Surf (ASP) consagra a ascensão no cenário internacional do jovem atleta que há tempos era apontado como uma das maiores promessas do esporte. Morador de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, Medina começou a surfar aos 9 anos, por influência do padrasto e, hoje, técnico, Charles Rodrigues. Habituado às fortes ondas da Praia de Maresias, ele começou a confirmar as expectativas já em 2009. Com apenas 15 anos de idade e ainda amador, tornou-se o mais jovem surfista do mundo a vencer uma prova seis estrelas do circuito profissional mundial, disputada na Praia Mole, em Florianópolis (SC). Seu adversário na final, o também brasileiro Neco Padaratz, tinha 32 anos e larga experiência nesse tipo de competição.
Em 2010, o sebastianense venceu o torneio promovido pela Associação Internacional de Surf (ISA), na Nova Zelândia, e se tornou campeão mundial na categoria abaixo dos 18 anos. No segundo semestre de 2011, com então 17 anos, Medina ingressou no seleto time de 36 surfistas que disputam a primeira divisão do circuito profissional, tornando-se o mais jovem surfista a ingressar no pelotão de elite da ASP. E o fez em grande estilo, vencendo duas das cinco etapas que disputou em meia temporada – o que lhe garantiu o 12º lugar no ranking anual. Em 2012, quando participou de todas as etapas, Medina alcançou a sétima posição. No ano passado, terminou em 14º.
Este ano, o brasileiro liderou o ranking durante praticamente todo o ano – um fato raro. Das 10 etapas já concluídas, o brasileiro já venceu três - e ainda pode vencer esse último evento. O tricampeão mundial Mick Fanning também ganhou três campeonatos, mas enquanto o brasileiro já chegou quatro vezes à quinta colocação, o australiano obteve menos resultados semelhantes, terminando em posições piores que Medina nos outros eventos. Já o onze vezes campeão do mundo Kelly Slater até aqui não venceu nenhuma etapa em 2014.
Patrocinado por uma das mais poderosas multinacionais fabricante de artigos de surf desde 2009, a crescente popularidade de Medina lhe rendeu contratos com empresas estranhas à modalidade, como uma montadora de carros de luxo, uma empresa telefônica e fabricantes de celular e de refrigerantes. Só em prêmios, Medina recebeu, este ano, US$ 391 mil. Fora patrocínios, bônus por resultados, royalties por produtos com seu nome e outras ações de marketing.

Artigo de opinião: Vazios em Pernambuco


Por: *Adriano Oliveira
Ciclos políticos e eleitorais não são perenes. Mas podem vir a ser duradouros. Eventos ocorridos na trajetória possibilitam a perpetuação ou o fim dos ciclos. Getúlio Vargas, por exemplo, liderou ciclos políticos e eleitorais. Sob a sua liderança, o estado brasileiro foi construído e passou por transformações. Vargas conseguiu cativar por logo tempo eleitores, em particular, os trabalhadores.
Eduardo Campos construiu, fortaleceu e consolidou ciclos político e eleitoral em Pernambuco. As ações de Eduardo à frente do governo de Pernambuco possibilitaram a conquista de eleitores. Eduardo, conforme pesquisas qualitativas mostram, obteve a admiração dos sufragistas pela sua capacidade de trabalho e sensibilidade social. O desempenho de Eduardo Campos como político e governador teve a capacidade de influenciar a decisão dos eleitores. Denomino tal capacidade de “eduardismo”.
O eduardismo contribuiu para os sucessos eleitorais de Geraldo Júlio em 2012 e de Paulo Câmara em 2014. Com a morte precoce do governador Eduardo Campos, o eduardismo continuou a existir na memória dos eleitores, pois a admiração por um líder não cessa repentinamente. Porém, ao olhar atentamente para os espaços político e eleitoral em Pernambuco, constato vazios.
A Frente Popular, aparentemente, continua a existir. Quem lidera ou liderará a Frente Popular de Pernambuco? Geraldo Júlio e Paulo Câmara exercem funções executivas. Portanto, teoricamente, serão os líderes. Mas para isto ocorrer, eles precisam estar bem avaliados entre os eleitores.
Caso um esteja bem avaliado entre os sufragistas e o outro não, um ascenderá sobre o outro. E, por consequência, será referência na Frente Popular. A ascendência de um sobre o outro tem condições de gerar conflitos na Frente Popular. Então, o líder que surgir precisará ter a capacidade política para arbitrar os conflitos. Caso não, chances para a implosão da Frente Popular surgirão. Se Geraldo Júlio e Paulo Câmara não conquistarem a admiração de parcela majoritária dos eleitores, aumentam as chances da Frente Popular implodir.
Um grupo, supostamente liderado pelo senador Armando Monteiro, tende a fazer oposição ao governador eleito Paulo Câmara. As desavenças ou a implosão da Frente Popular beneficiam a suposta oposição. Mas quem liderará a oposição ao governador de Pernambuco? O senador Armando Monteiro tem condições de aglutinar parlamentares, em particular do PT, e com isto liderar a oposição?
O PSDB e o DEM estão aptos a liderar a oposição a Geraldo Júlio. Porém, estratégias equivocadas tendem a enfraquecer os seus principais quadros. A ação do PT em Recife é uma incógnita, pois a agremiação carece de novos quadros. E, talvez, o partido não esteja convencido de que a melhor estratégia para 2016 seja a de produzir candidatos neófitos. Um detalhe: desavenças na Frente Popular podem criar líderes oposicionistas advindos da Frente Popular.
A ausência caracteriza as atuais paisagens eleitoral e política de Pernambuco. O eduardismo continua a existir na memória dos eleitores. Mas a sua existência não será suficiente para a manutenção do capital eleitoral da Frente Popular. Diante disto, surge a oportunidade para o surgimento de novas lideranças. Quem será ou quais serão as novas lideranças de Pernambuco?
*Adriano Oliveira é professor e cientista político

Humberto consegue viabilizar recursos para Garanhuns



Do Blog da Folha
O senador Humberto Costa (PT) anunciou, nesta sexta-feira, a liberação de mais de R$ 4 milhões em recursos para obras em Pernambuco. O dinheiro foi retirado da verba do Orçamento Geral da União (OGU) de 2014, através da articulação com ministros e técnicos do governo federal.
O montante será destinado a pelo menos 5 cidades do Estado, que poderão contar com o benefício ainda este ano. O valor deve ser colocado em obras no setor de saúde, infraestrutura urbana e reforma agrária. “Trata-se de um montante relevante que irá contemplar consideravelmente o nosso Estado. É verba federal que será aplicada diretamente até o dia 31 de dezembro. Temos que comemorar a liberação desses recursos nesse momento de rigor fiscal e aplicá-los em obras que sejam fundamentais para os pernambucanos”, afirma Humberto.
O Ministério da Saúde irá enviar R$ 2 milhões para a construção do Hospital Maternidade de Jaboatão dos Guararapes e o Ministério do Desenvolvimento Agrário aplicará R$ 300 mil na rubrica orçamentária de assistência técnica e extensão rural em assentamentos agrários, em todo o Estado. Já o Ministério das Cidades vai investir R$ 1,7 milhão em obras de infraestrutura urbana nas cidades de Serra Talhada (R$ 500 mil) e Petrolina (R$ 500 mil), no Sertão do Estado, e Surubim (R$ 400 mil) e Garanhuns (R$ 300 mil), no Agreste.

Lula quer a imprensa participando das plenárias do PT

Líder-mor do PT quer que jornalistas conheçam o partido internamente (Foto: Instituto Lula/Divulgação)

Segundo informa o Blog da Folha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está traçando novas estratégias para tentar diminuir o antipetismo. Depois dos episódios do mensalão e do escândalo da Petrobras, a imagem do partido ficou bastante desgastada perante o eleitor. Uma fonte que faz parte da Executiva Nacional disse que o líder-mor do PT não esconde dos seus correligionários que a sigla está arcando com as consequências, mas, segundo o ex-presidente, a imprensa afeta ainda mais a representatividade da legenda.
Um das táticas de Lula é trazer a imprensa para dentro do partido, participando das plenárias e dos diversos congressos que a sigla realiza pelo País. Ele acha que os jornalistas analisam o partido à distância, e só se remetem aos seus representantes e, consequentemente, à legenda, de forma negativa. Para mudar isso, o ex-presidente quer que os comunicadores observem as discussões sobre ética e transparência que acontecem nas reuniões do PT.
Segundo a fonte, Lula cita nas reuniões que o PT “foi o grande construtor das políticas de transparência, e criou até o próprio portal das transparências”. Nos encontros o líder-mor do Partido dos Trabalhadores não deixa de cutucar os tucanos afirmando que a legenda não tem “um engavetador geral da república”. A frase é em referência ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, foi acusado de não dar andamento as investigações sobre várias denúncias de corrupção ocorridas durante a gestão tucana.

Armando se despede do Senado

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) fez, nesta quinta-feira (18), seu último discurso no plenário do Senado antes de assumir o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior anunciando que o MDIC será “ponta de lança” do processo de reativação da atividade econômica, com medidas que darão maior competitividade às empresas.
Monteiro, que será empossado em 1º de janeiro, defendeu que a retomada do crescimento econômico deve ter por base a indústria, por se caracterizar como setor que gera inovação tecnológica e emprego de qualidade. “Não podemos permitir que a indústria continue a perder posição relativa de participação no PIB, o Produto Interno Bruto”, enfatizou.
Diante de apartes de vários senadores, ressaltou que o MDIC terá papel proativo na retomada do crescimento econômico mesmo diante de uma conjuntura econômica restritiva, de severa contenção dos gastos públicos.

Em busca do diploma, Aécio vira piada nas redes

247 - A extravagante ação judicial do PSDB, que ontem tentou fazer com que  o senador Aécio Neves fosse diplomado presidente da República, virou piada nas redes sociais. "Aécio quer o diploma porque o atestado de sanidade ele já não consegue", disse o jornalista e escritor Palmério Doria.
No Diário do Centro do Mundo, Paulo Nogueira também escreveu a respeito:
Aécio precisa ser informado de que perdeu
As pessoas se perguntavam nas redes sociais: é piada?
Mas não. Não era.
Pouco antes da diplomação de Dilma hoje, o PSDB solicitou ao TSE o seguinte. Que, em vez de Dilma, Aécio fosse diplomado.
Quer dizer: o PSDB quer cassar mais de 54 milhões de votos.
Há detalhes até engraçados. Você pode imaginar a cena: um mensageiro do PSDB vai em louca correria ao presidente do TSE para entregar-lhe o pedido e, ao chegar a seu escritório, descobre que ele já está diplomando Dilma.
Em quem teria se inspirado o PSDB? No Fluminense, que escapou da segunda divisão no ano passado graças ao tapetão de última hora?
No grande filme de Dustin Hoffman em que ele salva a amada de um casamento torto em plena igreja, quando ela, belíssima em seu vestido de noiva, estava prestes a dizer sim?
O desfecho seria perfeito, como comédia, se no momento em que Toffoli entregava o diploma a Dilma o presidente do PSDB, Aécio, irrompesse na sala e cantasse: “Por favor, pare agora. Senhor juiz, pare agora.”

Exagero e insanidade

O PSDB deu entrada, ontem, junto ao Tribunal Superior Eleitoral, de pedido para que a presidente Dilma não seja diplomada na cerimônia marcada para hoje, resultado de sua reeleição em outubro. Trata-se, além de um exagero, de um ato de insanidade.
Por mais que a presidente tenha decepcionado o país nos últimos quatro anos, a verdade é que acaba de receber o apoio da maioria do eleitorado.
Qualquer restrição ao seu comportamento durante a campanha precisaria ser objeto de um processo judiciário, jamais do impedimento de sua diplomação. (Carlos Chagas)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Como o governo do PT banca a pior mídia do mundo

Por Leandro Fortes
 
O recente levantamento publicado pela “Folha de S.Paulo” sobre despesas de publicidade do governo federal, nos últimos 14 anos, 12 dos quais sob o comando do PT, é, ao mesmo tempo, um espanto estatístico e um desalento político.
Foram 15,7 bilhões de reais despejados, prioritariamente, em veículos de comunicação moralmente falidos e explicitamente a serviço das forças do atraso e da reação. Quando não, do golpe.
O mais incrível é que 10 entre 10 colunistas cães de guarda da mídia não perdem a chance de abrir a bocarra para, na maior cara de pau, acusar blogueiros de receber dinheiro do governo para falar bem do PT.
Ainda que fosse verdade (99% dos blogueiros não recebem um centavo de ninguém), ainda assim, não seria injusto.
Isso porque somente a Globo recebeu 5 bilhões de reais dos cofres públicos para, basicamente, falar mal do PT. Nada menos que 1/3 de todo dinheiro gasto com publicidade pelo governo federal.
E se pode, ainda, colocar mais 1 bilhão de reais por fora, valor atualizado da sonegação de impostos com a qual a Globo está envolvida.
Sem falar na Editora Abril, responsável pelo esgoto da revista Veja.
Apesar do histórico de invencionices, o balcão dos Civita faturou quase 300 milhões (!!) de reais de grana do contribuinte para produzir lixo tóxico disfarçado de jornalismo.
Isso significa que o negócio do jornalismo no Brasil, sempre tão ávido em apontar o dedo para o governo, simplesmente, não vive sem o dinheiro da Viúva.
Esse levantamento reforça a tenebrosa impressão de que os governos do PT foram definitivamente dominados pelos oligopólios da mídia de forma a garantir-lhes renda líquida e necessária, mesmo que a contrapartida seja a fatura conhecida de todos: calúnia, difamação, injúria, mentiras, boatos, assassinatos de reputação e ataques editoriais.
Por essa razão, tornou-se imperiosa a necessidade de se fazer, imediatamente, uma revisão geral dos critérios de aplicação de publicidade oficial nessas máquinas privadas de sucção de dinheiro público.
Em um mundo virtual, onde a comunicação de rede trabalha com audiência de milhões de pessoas em torno de um único post nas redes sociais, tornou-se totalmente obsoleto o tal “critério técnico”, seguido como evangelho pelo governo federal.
Está bem claro quem são os beneficiários dessa armadilha burocrática mantida intacta pelo Palácio do Planalto.
E, é bom que se diga, isso nada tem a ver com regulação da mídia, nem se inclui em qualquer dessas falsas polêmicas relativas a liberdade de imprensa e de expressão – tão caras a moralistas e hipócritas a soldo das empresas de comunicação.
Trata-se de acabar com um sorvedouro de dinheiro público.

Sarney se despede do Senado



O senador José Sarney (PMDB-AP) fez hoje seu último discurso na tribuna do Senado. Embora seu mandato encerre apenas no dia 1º de fevereiro, Sarney aproveitou o último dia com maior presença de senadores para sua despedida após 60 anos ocupando cargos públicos.
“Levo o fato de ser o senador, o parlamentar mais longevo da história política do País. São 60 anos”, disse ao iniciar o discurso. Na fala, Sarney aproveitou para lembrar fatos históricos e defender temas atuais, como a reforma política, mudanças no controle das empresas estatais e na legislação penal para diminuir a violência no país.
Ex-presidente da República e ex-governador do Maranhão, Sarney disse que se arrepende de ter voltado ao Congresso depois que deixou o Palácio do Planalto e defendeu que o Brasil se torne um país parlamentarista. “Eu também tenho um arrependimento – até fazendo um mea culpa: penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo”, disse.
“Já expressei minha convicção de que precisamos caminhar a passos mais largos para o parlamentarismo. O parlamentarismo é uma forma mais alta, nas crises que a democracia sempre tem, cai o governo mas não se cria a crise institucional de cair o presidente, de termos o trauma de se fazer aquilo que o povo já fez, que é a Presidência da República”, complementou.
Ainda sobre crises institucionais, o senador fez referência ao delicado momento vivido pelo governo em meio à crise da Petrobras e lembrou que já apresentou há anos um projeto de lei para criar um Estatuto das Estatais. Segundo ele, seu último legado ao Senado será reapresentar a proposta.(Do blog de magno martins)

'Não terá 3º turno', diz Toffoli na diplomação de Dilma



Renan Ramalho e Filipe MatosoDo G1, em Brasília
'Que os especuladores se calem'
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, afirmou nesta quinta-feira (18) que 'não haverá terceiro turno' nas eleições de 2014. A declaração foi dada durante discurso na cerimônia de diplomação da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer.

Mais cedo, o PSDB protocolou na Corte Eleitoral
pedido para cassar o registro de candidatura de Dilma e Temer e para que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), derrotado no segundo turno da eleição, seja diplomado presidente da Presidência da República.
 
'As eleições de 2014, para o Poder Judiciário, são uma página virada. Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que especuladores se calem. Já conversei com a Corte, e esta é a posição inclusive do nosso corregedor-geral eleitoral, com quem conversei, e de toda a composição. Não há espaço para, repito, terceiro turno que possa cassar o voto destes 54.501.118 eleitores', afirmou Toffoli.

Gilberto Carvalho será presidente do conselho do Sesi



O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho, anunciou nesta quinta-feira, que vai assumir a presidência do conselho do Serviço Social da Indústria (Sesi).
Carvalho informou que tomará posse no cargo em fevereiro de 2015. A instituição é mantida com contribuições compulsórias da indústria e agroindústria e mantém projetos de educação e especialização em todo o País. A vaga desocupada por Carvalho na Presidência da República será ocupada por Miguel Rossetto, ex-ministro do Desenvolvimento Agrário.
Ressaltando que terá “um décimo de preocupações” após assumir a nova função, Carvalho afirmou que vai conseguir se dedicar mais ao PT, principalmente aos fins de semana.

Empresário dava abrigo a Fleury

Por Helena Dias
Da Folha de Pernambuco
Novas informações sobre o local de hospedagem de um dos maiores símbolos da repressão no País, na época do regime militar, o então delegado do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), Sérgio Paranhos Fleury, podem movimentar ainda mais as investigações da Comissão Estadual de Memória e Verdade Dom Hélder Câmara (CEMVDHC) sobre do Massacre da Granja São Bento. Os crimes aconteceram em 1973, resultando no assassinato de seis integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR).
Segundo o secretário de Imprensa do Estado, jornalista Ivan Maurício, ouvido ontem em sessão pública da CEMVDHC, havia informações de que o empresário do ramo de transportes Arthur Schwambach hospedava Fleury em sua casa, durante as visitas do torturador ao Estado. Esses dados eram informados por um jornalista que prestava serviço à empresa de Schwambach à época.
“Foram informações que eu tinha colhido nessa época e eu posso até ser desmentido por essas pessoas, mas elas me disseram. Eu não tenho fama de mentiroso. Aconteceu esse fato, ele esteve aqui várias vezes no Recife e foi hospedado”, disse Ivan Maurício, em conversa com a Imprensa, ao final da sessão.
O secretário ainda falou sobre a existência de um outro profissional da imprensa que testemunhou a chegada de quatro assassinos do padre Antônio Henrique à Secretaria de Segurança do Estado, caso já investigado pela Comissão da Verdade. Um deles estava com manchas de sangue na roupa e confirmou a execução do padre, logo após o crime.
Todos os relatos de ambos os casos serão apurados pela CEMVDHC e podem resultar na convocação de novos depoentes citados na sessão desta última quarta-feira. Até o fechamento da edição, a reportagem tentou entrar em contato com Arthur Schwambach, mas não obteve resposta.

PML sobre EUA-Cuba: “vê-se agora quem tinha razão”

:
247-Enquanto "a postura do PSDB refletiu o conservadorismo de matriz norte-americana", pregando "um tratamento agressivo do governo de Raúl Castro", propondo "o isolamento forçado do regime", o governo Lula-Dilma adotou uma "postura em linha de continuidade com a escola diplomática civilizada, que prega o respeito à soberania dos povos como o princípio básico para a convivência pacífica entre países"; a análise é do jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília; segundo ele, o reatamento anunciado ontem entre Estados Unidos e Cuba "tem uma utilidade suplementar no Brasil: coloca em seu devido lugar o anti-comunismo primitivo que fez uma grande aparição na última campanha presidencial"

Leia aqui a íntegra do artigo.

'Brasil marcou golaço ao financiar porto de Mariel'.Agora?



:
Patrícia Campos Mello - Folha de S.Paulo
Com o porto de Mariel e outros inúmeros investimentos em Cuba, o Brasil é um dos países que estão mais bem posicionados para se beneficiar da queda do embargo americano à ilha, cuja negociação foi anunciada hoje.
Alvo de críticas ferrenhas, o porto de Mariel, que recebeu cerca de US$ 800 milhões de financiamento do BNDES e foi tocado pela Odebrecht, está a apenas 200 quilômetros da costa da Florida.
Depois da dragagem, poderá receber navios grandes como os Super Post Panamax, que Dilma citou várias vezes durante a cúpula da Celac este ano, e concorrer com o porto do Panamá.
Mesmo sem a dragagem, já será concorrente de portos como o de Kingston, na Jamaica, e das Bahamas, bastante movimentados.
O raciocínio do governo brasileiro sempre foi o de 'entrar antes da abertura para já estar lá quando caísse o embargo'.
Essa estratégia se provou acertada.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

UPAE Garanhuns e sua gama de serviços oferecidos a população do Agreste

Baixe upae garanhuns fachada.jpg (115,3 KB)
Em julho de 2013, o Agreste Meridional viu inaugurada a primeira UPAE do estado. A Unidade Pernambucana de Atendimento Especializado foi entregue pela Secretaria Estadual de Saúde, com a presença do então governador Eduardo Campos, recebendo o nome de Dr. Antônio Simão dos Santos Figueira, pelos relevantes serviços prestados ao município e região.

Um ano e meio depois, A UPAE Garanhuns se tornou uma referência em saúde, oferecendo diariamente atendimento médico ambulatorial com agendamento prévio, através de sistema de regulação, com sede em Garanhuns, e abrangendo os 21 municípios que fazem parte da V GERES – Gerência Regional de Saúde; Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçado, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmeirina, Paranatama, Saloá, São João e Terezinha.

Desde sua implantação, a UPAE, teve um contínuo processo de inclusão de novos serviços, com novas especialidades e consequentemente, aumento das ofertas de consultas. "Hoje, o quadro é grande, e por isto é interessante atualizar para a população todos os serviços realizados em nossa unidade no momento" - Afirma Dr. Franco Junqueira, coordenador médico da unidade.

Já foram inauguradas UPAE´s em Garanhuns, Petrolina, Caruaru, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, Salgueiro, Arcoverde, Limoeiro e Belo Jardim, beneficiando os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) desses municípios e das cidades vizinhas. Todas elas contam com consultórios e modernos centros de apoio ao diagnóstico e exames. A previsão é que até o final do primeiro semestre de 2014, os municípios de Abreu e Lima, Carpina, Escada, Goiana, Palmares e Ouricuri já estejam com suas unidades funcionando.

Confira os serviços oferecidos pela UPAE Garanhuns:

ESPECIALIDADES MÉDICAS
Alergologia
Anestesia
Cirurgião Geral
Cardiologia
Dermatologia
Endocrinologia
Gastroenterologia
Geriatria
Ginecologia
Infectologia
Mastologia
Nefrologia
Neurologia
Oftalmologia
Otorrinolaringologia
Pneumologia
Proctologia
Urologia

ESPECIALIDADES NÃO MÉDICAS
Assistente Social
Enfermagem
Farmácia
Fisioterapia
Fonoaudiologo
Nutricão
Terapia Ocupacional
Psicologia

EXAMES COMPLEMENTARES
Patologia Clínica ( Posto de coleta)
Bioquímica
Hematologia
Urianálise
Parasitológico
Imunologia
Microbiologia
Hormonologia
Bacteriologia
Audiometria - Impedanciometria
Biópsia
Densitometria
ECG
Ecocardiografia com Doppler Vascular
EEG
MAPA
Colonoscopia
Endoscopia Digestiva Alta
Mamografia
Radiologia Simples
Ultrassonografia Geral
Nasofibroscopia
Biometria Ultrassônica
Campimetria Computadorizada
Ceratometria
Mapeamento de Retina com Gráfico
Paquimetria
Tonometria Ultrassônica
Cistoscopia

CIRURGIAS
Cirurgia Geral
Dermatologia
Oftalmologia
Otorrinolaringologia
Urologia

Para saber mais:
UPAE Prof. Antônio Simão dos Santos Figueira
Rodovia BR 423 km 96,8 - Magano - Garanhuns - PE
Coordenação Geral: Dr. Gustavo Amorim

Petrobras inicia operação na Refinaria Abreu e Lima

A Petrobras anunciou, nesta quarta-feira (17), o início da comercialização de combustíveis na Refinaria Abreu e Lima, instalada em Pernambuco. Com a operação da refinaria, a empresa projeta a redução da importação de derivados de petróleo. Abreu e Lima produzirá, prioritariamente, óleo diesel, que responde por 70% do rendimento total da unidade.
A venda será para a BR Distribuidora, também da Petrobras, de diesel S-500, com menos teor de enxofre

Estados Unidos anunciam aproximação histórica de Cuba


Do Portal UOL
Depois de mais de 50 anos de ruptura, os Estados Unidos e Cuba iniciam a retomada de relações diplomáticas, informaram ambos os países nesta quarta-feira.
'Pretendemos criar um novo capítulo nas relações entre os países', disse o presidente norte-americano, Barack Obama, ao abrir o seu discurso. Ele destacou que a barreira ideológica e econômica entre os dois países não faz mais sentido, em referência ao regime socialista da ilha, ainda mais em uma época em que os 'EUA estão preocupados com ameaças reais, como os grupos extremistas Al Qaeda e Estado Islâmico'.
'Esses 50 anos mostraram que o isolamento não funcionou, é tempo de outra atitude', frisou Obama. Na conclusão do discurso, Obama usou expressões em espanhol. 'Todos somos americanos', disse.
Ao mesmo tempo em que Obama anunciava a retomada de relações com Cuba, o presidente da ilha, Raul Castro, falava aos cubanos. Em Havana, o líder destacou que o governo concordou em restabelecer as relações diplomáticas e que havia proposto aos EUA 'a adoção de medidas neutras baseadas nas leis cubanas' neste processo.
Obama e Castro já haviam conversado mais cedo nesta terça-feira por telefone para discutir os planos da libertação do cidadão norte-americano Alan Gross, um agente de inteligência e de três cubanos presos nos Estados Unidos.
A mudança implicará um relaxamento no fluxo de comércio e transportes dos Estados Unidos para Cuba. Em 1960, os Estados Unidos impuseram um embargo comercial contra Cuba – o adversário da Guerra Fria mais próximo de sua costa. Os dois países não têm relações diplomáticas desde 1961.
Além da retomada de relações comerciais, os EUA planejam abrir uma embaixada em Cuba como parte de seus planos para normalizar as relações com o país de Castro.
Libertação de presos
Cuba soltou o norte-americano Alan Gross, 65, após cinco anos de prisão. Após ser preso em 3 de dezembro de 2009, o norte-americano foi condenado a 15 anos de prisão em 2011 pelo que o governo cubano descreveu como 'ações contra a integridade territorial do Estado'. Ele sofre de diabetes e teve suas condições de saúde agravadas com a prisão.
Cuba também está libertando um agente de inteligência norte-americano detido por quase 20 anos.
O governo dos Estados Unidos libertou três agentes de inteligência cubanos, presos desde 1998: Gerardo Hernandez, 49, Antonio Guerrero, 56, e Ramon Labañino, 51. Dois outros foram libertados antes de cumprirem a sentença toda: Rene Gonzalez, 58, e Fernando Gonzalez, 51. No entanto, segundo o 'New York Times' apurou com fontes diplomáticas americanas, essa não foi uma 'troca de prisioneiros'.

Prefeito de Bom Conselho está foragido

Do blog de magno martins

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o habeas-corpus impetrado pela defesa do prefeito de Bom Conselho, Danilo Godoy (PSDB). A decisão deixou o prefeito na condição de foragido, podendo ser preso a qualquer instante.
Ele e os estudantes Jocelino Ramos de Carvalho Filho e Eduardo Cavalcante Ramos de Carvalho são acusados pelo homicídio de Rufino Gomes de Araújo Neto, dono de academia de artes marciais e professor de jiu-jitsu em João Pessoa (PB), conhecido como Morceguinho.
A decisão do relator revogou liminar anteriormente deferida que concedia direito à liberdade provisória aos três acusados. Rufino Gomes teria sido morto por conta de uma briga ocorrida durante o Fest Verão de 2011, na cidade de Cabedelo (PB), envolvendo o furto de uma garrafa de uísque. Testemunhas disseram que Morceguinho envolveu-se na briga para defender um amigo e foi morto pelos pernambucanos dias depois, em um crime premeditado.
Decisão
O ministro assentou em sua decisão que a Primeira Turma do STF consolidou entendimento no sentido da inadmissibilidade do uso de habeas corpus em substituição ao recurso ordinário, previsto na Constituição Federal. Contudo, salientou que o colegiado tem examinado a possibilidade da concessão da ordem de ofício. No entanto, segundo o ministro, não é o caso dos autos.
O relator observou que o decreto prisional expedido pelo juízo de origem está devidamente fundamentado na conveniência da instrução criminal, na garantia da ordem pública e na preservação de futura aplicação da lei penal.
Segundo o ministro, de acordo com a jurisprudência do STF, “a gravidade concreta dos fatos até então apurados justifica a custódia cautelar para a garantia da ordem pública”. As prisões, diz o relator, foram determinadas com base na gravidade concreta dos fatos, aferida diante do modo cruel do crime e da periculosidade dos acusados.